Ser mulher completa em um mundo fragmentado

Não somente nesta época, mas todo dia é dia de comemorar e desenvolver o coração grato pelo dom imerecido da vida, independentemente de gênero.

Estamos em época de celebração do Dia Internacional da Mulher. Você acha isso interessante? Você se envolve com esse tema? Eu acredito que não somente nesta época, mas que todo dia é dia de comemorar e desenvolver o coração grato pelo dom imerecido da vida, independentemente de gênero.

Mas convenhamos que a mulher tem uma particularidade a ser comemorada. O pecado fragmentou o mundo, trouxe a nossa separação de Deus, a nossa separação com o outro, com a natureza e conosco mesmo. E, realmente, estragou tudo.

A mulher separada e diminuída passou não somente a acuar-se em um canto inferior, mas passou, adicionalmente, a não aceitar mais o que se via no espelho. A imagem que precisava ver de si mesma, não correspondia mais à realidade. Foi duro e ainda é para muitas mulheres.

A mulher, por ser mais sensível, por ter o caráter mais relacional – devido ao seu propósito ajudador, sofre muito sem ter um Salvador. Suas emoções ficam em frangalhos, seu corpo não acompanha os moldes impostos pela sociedade e a solução parece ser o afastamento, o silêncio, a inexistência. É muito difícil!

A tecnologia não ajudou nesses aspectos, ela apenas confirma-os ao passo que distancia os próximos e dá a ilusão aos distantes de que estão perto. Somos imediatistas, a geração dos 15s do instagram, da volatilidade. Se você discorda de alguma coisa de alguém, simplesmente dispensa-o e diz próximo, ou é a própria pessoa dispensada no momento em que lê este artigo. A realidade e que as coisas estão tomando o lugar das pessoas e tudo está muito, mas muito fragmentado.

A maravilhosa notícia é que Deus enviou o seu filho, Jesus Cristo, para que todo aquele que Nele creia não pereça, mas tenha a vida eterna. A vida eterna em Jesus Cristo é vida abundante aqui na terra, mesmo com redes sociais não muito sociais em sua essência.

Jesus amou as mulheres e colocou-as no protagonismo do Seu amor. Eu me agarrei a esse ousado amor e Nele fui realmente restaurada. Eu celebro o Dia Internacional da Mulher e todos os outros dias.

Você pode questionar a materialidade de tudo o que eu falei. Mas hoje eu tenho um desafio para você: entregue a sua vida de verdade ao Senhor, leia a Bíblia e medite em sua leitura todos os dias e viva-a. Deus provera o resto. E não tenha dúvidas sobre isso.

Eu lembro como foi difícil fazer isso. Só me entreguei totalmente, quando não tinha mais para onde ir, a não ser para os seus braços de amor, para melhor viver meus últimos dias.

Este é o grande “X” da questão: Você pode não saber quantos dias viverá daqui para a frente, mas pode decidir como vai vivê-los.

A vida é feita de decisões todos os dias. Vivemos conforme decidimos viver. Pecamos, caímos, ficamos quebradas. Jesus veio, nos amou, nos resgatou e nos fez completas Nele. E isso não nos será tirado!

Feliz Dia Internacional da Mulher!


Samara Queiroz é bacharel em Ciências da Computação pela UFPB e Teologia pela FTSA. Especialista em Redes e Sistemas de Informação pela UFPB e Gestão de Recursos e Formação de Liderança pela FIP. Atualmente trabalha na equipe de Inteligência Artificial do Superior Tribunal de Justiça e lidera a Rede de Mulheres Entre Amigas da Igreja Cidade Viva, em João Pessoa/PB. É casada com Sérgio Queiroz, há 23 anos, e mãe de Sérgio Augusto, Esther e Débora.