20.9 C
Vitória
segunda-feira, 21 junho 2021

Nigéria: Senador diz que país precisa de salvação contra a violência

Sequestros e mortes de cristãos são comuns na Nigéria, que ocupa o 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021

A falta de segurança na Nigéria é notícia nos principais jornais do mundo e tem preocupado as principais autoridades do país. De acordo com o senador Smart Adeyemi, “a nação está em chamas” e precisa de ajuda para que não seja destruída pelos jihadistas.

“O presidente deve estar à altura da situação e trazer pessoas para salvar este país ou seremos consumidos. Não podemos ficar quietos por mais tempo”, declarou o político em entrevista à Reuters.

O crescimento da violência na Nigéria colocou o país em 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021. Durante o período da pesquisa, 3.530 cristãos foram mortos em ações de grupos extremistas como Boko Haram e pastores de cabras fulani.

“Estamos observando esses desenvolvimentos de perto. Por favor, permaneçam em oração pela Nigéria”, pede a porta-voz da Portas Abertas no país.

Igrejas, escolas e universidades como alvo

Em abril, uma igreja Batista na aldeia de Manini, em Chikun, foi atacada por militantes fulani durante o culto. Além de assassinar um cristão, eles feriram outro e sequestraram quatro mulheres. Uma delas teve o marido morto em um incidente anterior.

A ação não foi isolada na região, cinco dias antes, homens armados invadiram a Greenfield University, mataram um homem e sequestraram 22 alunos e funcionários.

Na ocasião, eles pediram uma quantia equivalente a 1,5 milhão de euros como resgate. Caso o valor não fosse pago, eles iriam eliminar os reféns. Até agora, os corpos de cinco vítimas foram encontrados.

Medo

Entre 15 de fevereiro e 12 de março de 2021, quase mil pessoas foram sequestradas na Nigéria. Mais de 700 alunos foram capturados enquanto estavam nas escolas ou universidades.

Por medo de ataques, muitas escolas foram fechadas e os pais estão com medo de mandar os filhos para as aulas. Essa situação é comum desde 2020, quando 47% das crianças ficaram fora das salas de aula no norte do país. Isso faz com que piore a marginalização da Nigéria em termos de educação.

cristãos-nigerianos
Rose, cristã nigeriana, junto com os filhos. Seu marido foi assassinado por um grupo extremista por ser cristão. Foto: Portas Abertas

Você pode ajudar

Ataques de grupos radicais islâmicos traumatizam a vida de mulheres na Nigéria, seja pela perda de marido e filhos ou ao serem sequestradas. Essas sobreviventes precisam de cura para o trauma em todas as áreas da vida. As viúvas cristãs se tornam responsáveis pelo sustento de casa após a morte do marido.

Muitos deles foram assassinados por grupos extremistas, como Boko Haram e pastores de cabra fulanis. Encontrar um emprego que pague as despesas, como taxas escolares dos filhos, alimentação e moradia é quase impossível.

*Com informações de Portas Abertas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se