25 C
Vitória
quarta-feira, 25 novembro 2020

PF prende 2 secretários e 1 assessor do governador Helder Barbalho

Leia também

Aras vai ao STF contra licença para mãe adotiva e biológica

As adotantes terão 120 dias de licença, prorrogáveis por mais 45 dias, se a criança tiver até um ano de idade

Pazuello desvia de perguntas sobre testes que irão vencer

O RT-PCR é um dos exames mais eficazes para diagnosticar a covid-19, além de ser importante ferramenta de controle da pandemia

Alívio nos preços do arroz no início de 2021, diz Ipea

O governo federal liberou a importação de 400 mil toneladas de fora do Mercosul com isenção da Tarifa Externa Comum (TEC)

No pedido enviado à Francisco Falcão, as autoridades policiais registraram ainda a possibilidade de Helder Barbalho exercer função de liderança no grupo criminoso

Por Pepita Ortega e Fausto Macedo (AE)

Ao determinar a abertura da Operação S.O.S na manhã desta terça, 29, o ministro do Superior Tribunal de Justiça Francisco Falcão citou “robustos indícios da anuência e participação” do governador Helder Barbalho (MDB) em esquema criminoso dedicado a desvios de recursos da Saúde destinados a contratação de organizações sociais para gestão de hospitais públicos do Pará, dentre eles os hospitais de campanha para o combate à pandemia do novo coronavírus. A Polícia Federal vasculhou o gabinete de Helder no Palácio dos Despachos e ainda prendeu dois de seus secretários de Estado e um de seus assessores de gabinete. Ao todo, são cumpridos 76 mandados de prisão – levando em consideração a Operação Raio X, diretamente ligada à S.O.S.

A decisão de Francisco Falcão acolheu uma representação da Polícia Federal que foi parcialmente referendada pela subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo. Os pedidos se deram no âmbito de investigação que apura a participação do governo do Pará em “esquema criminoso especializado na fraude de licitações e desvio de recursos públicos da saúde”, que configuraria em tese, a prática dos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa, fraude à licitação, peculato e lavagem de dinheiro.

No pedido enviado à Francisco Falcão, as autoridades policiais registraram ainda a possibilidade de Helder Barbalho exercer função de liderança no grupo criminoso, “com provável comando e controle da cadeia delitiva”.

“As investigações indicam que o governador do estado do Pará, Helder Barbalho, tratava previamente com empresários e com o então chefe da Casa Civil Parsifal Pontes sobre assuntos relacionados aos procedimentos licitatórios que, supostamente, seriam loteados, direcionados, fraudados, superfaturados, praticando prévio ajuste de condutas com integrantes do esquema criminoso e, possivelmente, exercendo função de liderança na organização criminosa, com provável comando e controle da cadeia delitiva, dado que as decisões importantes acerca dos rumos da organização criminosa lhe pertenciam”, registra trecho transcrito na decisão que autorizou a S.O.S.

As investigações encontraram “indícios veementes” de ilicitudes em 12 contratos celebrados entre agosto de 2019 a maio de 2020 pelo Governo do Estado do Pará e com quatro organizações sociais – Instituto Panamericano de Gestão, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui, Associação da irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Pacaembu e Instituo Nacional de Assistência Integral. As contratações envolviam a gestão de unidades de saúde, incluindo hospitais de campanha para o combate ao novo coronavírus, totalizam o valor de R$ 1.284.234.651,90.

No despacho em que autorizou o cumprimento de 12 mandados de prisão e 41 de busca e apreensão – com alvos que incluem hospitais e a delegacia geral de Polícia Civil do Pará – Francisco Falcão registrou que a atuação de Helder Barbalho se mostrou “essencial para o sucesso da empreitada criminosa envolvendo organizações sociais na área da Saúde, notadamente mediante a edição de decretos qualificando as entidades no âmbito do Estado do Pará”.

Além disso, o ministro do STJ citou a proximidade do governador do Pará com Nicolas André Tsontakis, apontado como operador financeiro do esquema criminoso sob investigação. Ele é qualificado pelos investigadores como “elo entre médicos e empresários de São Paulo com a alta cúpula do Governo do Pará”. Citado em outras investigações envolvendo o governo do Pará, Nicolas também foi alvo de mandado de prisão no âmbito da S.O.S

Falcão também apontou que as situações descritas nas investigações que levaram à abertura da S.O.S se assemelham aos fatos sob apuração em dois outros inquéritos que correm junto ao STJ e apuram fraude e direcionamento de equipamentos médico-hospitalares para a terapia de infectados com o novo coronavírus. O magistrado indicou que em tais investigações, se verificou que a escolha da empresa foi realizada “pessoal e diretamente” pelo próprio governador do Pará, com o intuito de favorecer o empresário “parceiro”.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DO PARÁ

“Sobre a operação da Polícia Federal, que ocorre nesta terça-feira (29.09), o Governo do Estado esclarece que apoia, como sempre, qualquer investigação que busque a proteção do erário público.”

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Promotoria de SP denuncia 70 por desvios da Saúde em contratos de OSs

A operação foi aberta em simultâneo com a "S.O.S", que fez buscas no gabinete do governador Helder Barbalho (MDB), no Palácio dos Despachos

PF aponta ‘corrupção sistêmica’ no governo do PA e ‘provável comando’ de Barbalho

O próprio ministro do STJ considerou haver 'robustos indícios da anuência e participação' do governador em esquema criminoso

Naufrágio no Pará; barco carregava 12 pastores, um morreu

Pastor Welleson Machado, 32 anos, e outros 11 pastores estavam no barco, que saiu do município de Abaetetuba, com destino a São Sebastião da Boa Vista. Saiba mais!

Pará: pastores pedem volta de cultos presenciais

Reunião ocorre no dia do anúncio do governo de que o lockdown (bloqueio total) não será mantido na região metropolitana de Belém, após o domingo (24)

Hospital de campanha no Centro de Convenções da Assembleia de Deus

Por conta dos crescentes casos de Covid-19 no Pará, o Centro de Convenções da AD, em Belém, vai receber hospital de campanha. 

Igrejas do Pará estão proibidas de realizarem cultos

A determinação é do Governo do Estado. Eventos religiosos presenciais estão proibidos por 15 dias no Pará O governador do Pará, Helder Barbalho anunciou, em...

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Miniconferência on-line: “Fé e Ciência para Corpos e Mentes”

Cientistas cristãos brasileiros respondem questões de fé e ciência para corpos e mentes. Tema será abordado na mini Conferência online. Saiba mais!

Seminário de ciências bíblicas em edição virtual; começa hoje

Realizado há 20 anos pela Sociedade Bíblica do Brasil, evento incentiva o estudo e capacita líderes sobre o uso da Bíblia.

Grandes artistas do Brasil no “BH profetiza”

Realizado pela cantora Camila Campos, O BH profetiza vai reunir diversos cantores, entre eles Weslei Santos, Gai Sampaio, pastora Helena Tannure e outros. Evento será transmitido ao vivo, nesta terça-feira, 17 

Conferência pastoral Fidelidade Extrema

Realizado pela Associação Evangelística Billy Graham, a Conferência começou hoje, 13 e vai até amanhã. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Primeira brasileira a presidir Tribunal de Apelações da ONU

“Na presidência, quero tentar honrar essa tradição brasileira de boa diplomacia, com respeitabilidade honestidade e boa-fé”, disse a magistrada

Deive Leonardo grava última série do ano: Confira!

Gravação será no dia 12 de dezembro, em São José do Rio Preto (SP). Saiba mais!

Atriz é demitida por se posicionar contra a homossexualidade

Após usar sua página no facebook para escrever seu posicionamento contra a homossexualidade, a atriz cristã foi demitida de uma peça de teatro que participaria como atriz principal. Saiba mais!

Bíblia 365! Leitura em um ano da Palavra de Deus

Editora Mundo Cristão lança "Bíblia 365", diagramada especialmente para a leitura em um ano Acaba de chegar ao Brasil a Bíblia 365, lançamento da Editora...