25.9 C
Vitória
terça-feira, 26 outubro 2021

Rick Warren: a importância da compaixão para pessoas doentes

“Estamos vivendo uma época ímpar para mostrar compaixão pelas pessoas e o amor de Jesus”

Por Marlon Max

Quase todo mundo lidou ou ainda lida com algum enfermo na família durante a pandemia. No Brasil, quase 19 milhões de pessoas contraíram o coronavírus, sendo que mais de 500 mil morreram. A dor da perda ou de ver alguém que ama sofrendo é angustiante. O pastor e escritor Rick Warren aponta maneiras para mostrar compaixão em tempo de pandemia.

Segundo Warren, esse momento, apesar de trágico, é uma oportunidade para mostrar amor de forma prática. Além disso, ele alerta que essa é a hora da igreja cuidar das pessoas e mostrar compaixão.

“Os cristãos, historicamente, tratam da doença com compaixão, misericórdia e ternura. O próprio Jesus modelou isso para nós. Mateus 14:14 nos diz: “Quando Jesus saiu do barco, ele viu uma grande multidão. Ele teve pena deles e curou todos os enfermos ”, explica Warren.

O escritor e best-seller mostra como o próprio Cristo usou seu ministério para amar e cuidar dos enfermos. “Assim como Jesus foi um exemplo de compaixão para com os enfermos ao seu redor, os pastores devem ser um exemplo de compaixão por suas congregações em tempos como este”, esclarece, mas entende que o isolamento imposto pela pandemia pode dificultar a aproximação. “Nem sempre podemos estar presentes com pessoas que lutam contra esta doença, mas ainda podemos demonstrar compaixão”

O pastor Rick Warren dá cinco dicas sobre como apoiar uma pessoa enferma:

enfermo
De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil chegou a registrar 4 mil mortes por dia, durante o período agudo da pandemia. Foto: Reprodução/ Freepik

Seja atencioso

As pessoas têm doenças – seja COVID-19 ou não – ao nosso redor. Antes de se preocupar com essas necessidades, você deve estar ciente delas. Deus modela isso para nós, aponta Rick Warren. O Salmo 106: 44 diz: ‘Deus viu a sua miséria e ouviu o seu clamor’. Observe, Deus vê e ouve. Quando você está angustiado, Deus percebe”, frisa.

De acordo com o pastor, a maioria de nós fica desconfortável perto de pessoas doentes. Na verdade, tendemos a fugir deles. Mas Deus fez o oposto. Isaías 63: 9 diz de Deus: “Ele também sofreu em todo o seu sofrimento e os resgatou pessoalmente”

Aceite as pessoas sem estigmatizá-las

Temos a tendência de ficar envergonhados com as doenças – as nossas e as dos outros. Independentemente do motivo pelo qual alguém adoeceu, precisamos aceitá-lo como é. “Só porque alguém ficou doente como resultado de uma má decisão, não significa que devemos abandoná-lo”, adverte Warren

O exemplo que temos em Deus é que ele nos aceitou como somos, mesmo sem aprovar tudo que fazemos. “Paulo escreve em Gálatas 4:14: ‘Minha doença deve ter causado alguns problemas, mas você não me odiou nem me rejeitou por causa disso. Você me acolheu como se eu fosse um dos anjos de Deus ou até o próprio Cristo Jesus ”. Parte de ajudar as pessoas que estão doentes é remover o constrangimento e o estigma associados a isso.

Afirme os outros

Não é suficiente apenas aceitar pessoas que estão doentes. Precisamos afirmá-los também. De acordo com o Pastor Rick Warren, a afirmação nos dá esperança. “Uma das melhores coisas que você pode fazer às pessoas que estão doentes é dar-lhes esperança. As pessoas podem lidar com quase tudo na vida se tiverem esperança”, explica.

Ajude a prevenir a propagação

Como estamos em tempos de pandemia, e o vírus já se provou ser fatal, Warren diz que uma maneira de demonstrar compaixão é respeitando as regras sanitárias para impedir que outras pessoas fiquem doentes. “Quando ajudamos a desacelerar a disseminação do COVID-19 e evitamos que outras pessoas o contraiam, garantimos que as pessoas que precisam de ajuda o consigam”, diz e adverte aos pastores que dêem o exemplo nas congregações. “Pastores, precisamos modelar esses comportamentos para nossas congregações. Não podemos cuidar das pessoas que estão doentes se não mostrarmos interesse em garantir que mais pessoas não adoeçam”.

Oração permanente

Deus atua e tem prazer em demonstrar seu amor através da cura, conta Warren. O pastor orienta que a oração seja permanente pelos doentes, com a certeza de que Deus pode curar qualquer enfermidade. “Toda cura vem de Deus, não importa quem ele use. Ele usa médicos e remédios. Às vezes, ele também usa milagres”, esclarece e reforça a importância da atuação das igrejas durante a pandemia “Nossas igrejas têm uma oportunidade sem precedentes de amar e cuidar das pessoas que estão doentes. Vamos fazer o que pudermos para modelar o comportamento de Jesus para cuidar dos enfermos”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se