Ricardo Vescovi pede licença da presidência da Samarco

O presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, e o diretor de Operações da mineradora, Kleber Terra, pediram afastamento para cuidarem de suas defesas no caso do rompimento da barragem de Fundão

O diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, e o diretor de Operações da mineradora, Kleber Terra, pediram afastamento temporário de seus respectivos cargos. Os funcionários da mineradora que foram indiciados pela Polícia Federal pelo crime ambiental decorrente do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), em novembro do ano passado, justificaram o pedido de afastamento para poderem cuidar de suas defesas.

Os executivos estão sendo investigados pelas condutas previstas no caput do art. 54 e nos incisos, I, III, IV e V, do parágrafo 2º do art. 54, da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). A solicitação, aceita pelo Conselho de Administração da Samarco no dia 20 de janeiro, foi feita após serem concluídas as primeiras etapas de atendimento emergencial ao acidente.

A pena pelo crime de poluição pode variar de um a cinco anos, podendo ser ampliada por cada violação à legislação. Além de Vescovi e Terra, também estão sendo investigados outros quatro funcionários da empresa, e pessoas jurídicas da Samarco, da Vale (acionista, junto com a BHP Billiton) e da VOGBR, empresa responsável pelos laudos barragem.

A função de diretor-presidente será assumida interinamente pelo atual diretor comercial, Roberto Carvalho. Já a função de diretor de Operações será exercida, também de maneira interina, pelo diretor de Projetos e Ecoeficiência, Maury de Souza Junior, que passa a acumular as funções.

 QUEM ASSUME (INTERINO)
– Diretor-presidente: Roberto Carvalho, atual diretor comercial 
– Diretor de Operações: Maury de Souza Junior, atual diretor de Projetos e Ecoeficiência, que passa a acumular as funções