Grammy 2019: MK vence mais uma vez

Delino Marçal venceu o Grammy com o álbum “Guarda o meu coração. Foto: Reprodução

O cantor Delino Marçal, da MK sagrou-se vencedor da premiação, na categoria melhor álbum de música cristã em língua portuguesa.

Na última quinta (14), a organização do Grammy Latino anunciou os vencedores da 20ª edição do prêmio. O vencedor na categoria álbum de música cristã foi o cantor Delino Marçal, da MK publicitá. Em 15 anos, a gravadora teve 38 álbuns indicados, sendo contemplada com 13 edições do prêmio.

O resultado da votação de 2019 foi colocado em cheque por especialistas do mercado cristão e público, questionando critérios e metodologias. Fazendo menção honrosa ao talento e à carreira de Delino Marcal e sem nenhum demérito à sua conquista, muitos ficaram surpresos com os critérios usados pela academia do Grammy ao dar pouca relevância a outras obras, que sequer foram nominadas.

Além de Marçal, nesta edição, concorreram ao prêmio de Melhor Álbum de Música cristã (língua portuguesa), os cantores Eli Soares e Preto no Branco (Universal), Priscilla Alcântara (Sony Music) e a cantora católica Adriana Arides (Universal Music).

O diretor de A&R da Sony Music no segmento gospel, Maurício Soares, questionou os motivos da ausência de artistas reconhecidos pelo público no prêmio.

“As urnas são soberanas no processo de premiação do Grammy e devemos respeitar. É uma disputa simples onde os mais votados vencem no fim. Sinceramente não entendo bem os critérios para a definição dos cinco finalistas porque dificilmente refletem a realidade do mercado nesta categoria nos últimos anos.

Também acho bem estranho que somente os artistas de uma determinada gravadora vençam nesta categoria por mais de uma década. Uma das características da música cristã no Brasil é justamente a diversidade e convenhamos que hoje o mercado gospel nacional é bastante dinâmico e plural”,

Questionamentos

Em todas as edições do Grammy Latino, a Universal teve três cantores indicados. Em 2016, o Renascer Praise, com o álbum “Cantos de Sião”. Em 2017, Eli Soares, com o álbum “Memórias” e em 2019, ele foi novamente indicado com o álbum 360, juntamente com Preto no Branco.

Renata Cenízio, gerente artística da Universal, preferiu não se pronunciar sobre o resultado da premiação. Mas afirmou que independente de quem ganhou, o mais importante é ter artistas da gravadora entre os indicados.

“Prefiro me abster para falar sobre o resultado do prêmio. A premiação é uma decisão de uma comissão do Grammy, que nem sabemos quem é e quais critérios usaram para escolher. Então não temos o que questionar. Só dos cantores da gravadora terem sido indicados para estarem lá, já me deixa feliz. A premiação é só um detalhe”, declarou.

Marcio Moreira, gerente de marketing gospel da Som Livre, sobre o álbum vencedor da categoria cristã, disse: “Não considero inovador como o de Priscilla, nem iconoclasta como o do Preto no Branco, tampouco inventivo como o de Eli Soares. Mas acho o disco de Delino um recorte muito bem acabado do discurso atual da igreja brasileira. E, por isso mesmo, acredito que traduza bem o significado do prêmio deste ano”.

A gravadora MK defende a hegemonia do resultado da premiação. “Estamos maravilhados como Deus faz as coisas da forma, no tempo e como Ele quer. Delino tem um talento enorme para compor e uma interpretação emocionante, mas nada chama mais atenção que sua sinceridade e simplicidade. Estamos em festa porque o Senhor nos permitiu mais uma conquista”, declara Yvelise de Oliveira, presidente da MK Music.

Grammy Latino

Comunhão falou com a organização do Grammy latino, que confirmou a transparência do resultado da premiação. Felipe Alves, coordenador do prêmio no Brasil, explicou que a  escolha é feita através de votação entre os membros do comitê. São artistas e profissionais que trabalham no segmento musical na América Latina.

“Não há interferência no sistema de votação. Isso diz respeito ao que os membros escolhem. A decisão cabe aos membros da Academia Latina de gravação (Lara). Os dados são todos secretos, nem mesmo nós temos acesso ao resultado, somente no dia da premiação, quando anunciamos os vencedores. Não existe possibilidade de haver nenhum tipo de interferência”, explicou.

O produtor do grupo Preto no Branco, Alex Passos, afirmou que a apuração poderia ter sido mais rigorosa. “Ganhou quem tinha que ganhar. Mas acho que a organização precisa rever a apuração. Achava que tinha um grupo de profissionais mais técnicos que escutassem os álbuns e daí tivesse a votação. O triste é apenas a forma como a coisa é conduzida”, afirmou.

Sobre o Prêmio

O Grammy Latino foi criado em 2000 pela Academia Latina da Gravação. O prêmio chegou a sua 20° edição. E homenageia conquistas técnicas e artísticas, e não tem nenhuma relação com posições em “paradas de sucesso”.

Os ganhadores são escolhidos pelos votos de seus colegas e membros votantes qualificados da Academia latina de Gravação. O objetivo principal do Grammy é reconhecer a excelência da criação musical. Assim, ampliando o conhecimento do grande público sobre a diversidade cultural dos artistas latinos.

Os vencedores do Grammy Latino

2004: Fruto de amor – Aline Barros
2005: Deixa o Teu rio me levar – Soraya Moraes
2006: Aline Barros & Cia – Aline Barros
2007: Caminhos de Milagres – Aline Barros
2008: Som da chuva – Soraya Moraes
2009:
Depois da Guerra – Oficina G 3
2010:
Na extremidade – Marina de Olveira 
2011:
Extraordinário amor de Deus – Aline Barros 
2012:
Aline Barros & Cia 3 – Aline Barros 
2013:
Profeta da Esperança – Kleber Lucas 
2014:
Graça – Aline Barros 
2015:
 Da Eternidade – Fernanda Brum
2016: Deus Não Te Rejeita – Anderson Freire
2017: Acenda A Sua Luz – Aline Barros
2018: Som Da Minha Vida – Fernanda Brum
2019: Delino Marçal – Guarda o meu coração

Confira o clipe da canção “Guarda o meu coração”


leia mais

Conheça os destaques da música cristã no Grammy 2019