Boicote à Netflix após filme polêmico de Porta dos Fundos

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um abaixo-assinado exige que a Netflix retire o seriado e em uma semana já contém mais de 1 milhão de assinaturas

O grupo de humor, Porta dos Fundos, gera revolta com suas sátiras envolvendo o cristianismo. Assim, no final de 2019, a plataforma de filmes Netflix, está sendo criticada por hospedar o filme mais recente do grupo.

Na última segunda-feira (9) um abaixo-assinado contra o filme do Porta dos Fundos reunia 180 mil assinaturas. No entanto, nesta sexta-feira (13) já chega a mais de 1 milhão.

Na sinopse do “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”: “Jesus está fazendo 30 anos e traz um convidado surpresa para conhecer a família. Um especial de Natal tão errado que só podia ser do Porta dos Fundos”.

Interpretado por Gregorio Duvivier, Jesus, traz o “namorado”, Fábio Porchat, para passar alguns dias em sua casa. Ao longo da trama o “parceiro” se revela como o diabo. Por meio do Instagram o grupo de humor escreveu: “ao perambular pelo deserto, cuidado com as tentações pelo caminho. Dependendo do quanto estiver carente, pode até querer levar a tentação pra casa”, comentam.

LIDERANÇAS EVANGÉLICAS 

O Rev. Augustus Nicodemus em uma publicação no Facebook, confessou que não se espanta com esse tipo de ofensa à imagem de Cristo. Além disso, essa distorção já foi feita em outras ocasiões.

“Não é de hoje que também o chamam de homossexual. Seu pretenso caso com João, o jovem discípulo amado que se inclinou no seu peito durante a Ceia, tem sido apontado como evidência desde os primórdios da teologia inclusiva (gay) décadas atrás. Contudo, somente olhos homossexuais conseguem enxergar no episódio mais do que demonstração oriental masculina de amizade entre dois amigos”, explicou.

“Essa representação, totalmente contrária aos textos bíblicos que servem de origem para entendermos quem é Jesus, é resultado do deboche, zombaria, cinismo e descaso consciente de pessoas que querem simplesmente atacar o Cristianismo”, destacou. “Não estou espantado. O que se espera que sairia de um grupo que tem um nome desses [Porta dos Fundos] para identificá-lo?”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Augustus Nicodemus Lopes (@augustusnicodemus) em

Além disso, o pastor, professor e autor Franklin Ferreira, em uma postagem do Facebook também explanou sua opinião sobre o novo filme do Porta dos Fundos.

“O grupo Porta dos Fundos voltou a debochar da fé cristã. Num “Especial de Natal” Fábio Porchat e Gregório Duvivier vilipendiam a fé cristã, retratando Jesus Cristo como um homossexual”, explica.

“Não é a primeira vez que o Porta dos Fundos resolve atacar o cristianismo de forma direta. Em 2013 outro programa de Natal gerou polêmica e protestos. Em 2014 decidiram que o alvo da zombaria seria o patriarca Abraão, com piadas também sobre Deus. E em 2016 voltaram a ridicularizar os relatos bíblicos sobre Jesus Cristo”, destaca o escritor. 

REPÚDIO

Pelo impedimento do filme de Natal da Netflix e porta dos fundos, por ofender gravemente os cristãos. O abaixo-assinado criado no site (Change.org) exige que a Netiflix retire o seriado. Em cinco dias já contém 180 mil assinaturas. O objetivo é 200 mil.

Internautas que assinaram a petição repudiaram o Porta dos Fundos: “Para o direito penal brasileiro, a prática da discriminação e do preconceito por raça, etnia, cor, religião ou procedência nacional”, escreveu Antônio Santos. “Falta de respeito com a nossa fé”, destacou Meirian Martins.


LEIA MAIS

Serie da Netflix traz “Novo Messias” investigado pela CIA
“Greenleaf” e “Nada a Perder 2” estreiam na Netflix 
Netflix estreia série cristã em seu catálogo