Baixa qualidade de serviços compromete avanços na saúde

Foto ilustrativa

É o que apontou um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado nesta quinta (5)

Segundo o relatório, a baixa qualidade dos serviços prestados está retendo melhorias na saúde nos países. A pesquisa apontou diagnósticos imprecisos, erros médicos, tratamentos inapropriados e profissionais com pouco conhecimento.

De acordo com a OMS, a situação é pior em países de baixa e média renda. E nos países de alta renda, 01 em cada 10 pacientes apresenta algum tipo de ferimento durante atendimento médico. “Doenças associadas a cuidados de saúde de baixa qualidade impõem despesas adicionais às famílias e aos sistemas de saúde”, diz OMS.

Outro agravante é que os profissionais de saúde de sete países africanos de baixa e média renda só conseguiram fazer diagnóstico adequado entre 33% e 75% dos casos. E cerca de 15% dos gastos hospitalares em países de alta renda se devem a erros no atendimento ou a pacientes infectados enquanto recebem cuidados em unidades de saúde.

“Estamos comprometidos em garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam ter acesso a serviços de saúde quando e onde precisam. Estamos igualmente comprometidos em garantir que esses serviços sejam de boa qualidade. Honestamente, não há como ter cobertura universal em saúde sem cuidados de qualidade”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

*Com informações da Agência Brasil