21.6 C
Vitória
sexta-feira, 12 agosto 2022

Reino Unido tem primeira morte de paciente com a variante ômicron

Comunhao-omicron
Foto: reprodução

No sábado, a Grã-Bretanha relatou 633 novos casos confirmados de ômicron; no domingo, 1.239; e na segunda-feira, mais 1.576, para um total de 4.713 casos confirmados da variante no país

Por Marlon Max

O primeiro-ministro Boris Johnson disse na segunda-feira (13) que a Grã-Bretanha registrou a primeira morte de um paciente com a variante ômicron, enquanto as autoridades de saúde do Reino Unido alertaram que a nova versão do coronavírus estava se espalhando a uma velocidade de cair o queixo.

“Acho que a ideia de que esta é de alguma forma uma versão mais branda do vírus, é algo que precisamos deixar de lado e apenas reconhecer o simples ritmo com que ele acelera pela população”, disse Johnson a repórteres durante uma visita a uma clínica de vacinação em Londres. Ele instou as pessoas a aumentarem rapidamente sua proteção com uma injeção de reforço.

Longas filas se formaram do lado de fora das clínicas de vacinação na segunda-feira, com pessoas esperando para receber a primeira, segunda ou terceira dose.

Foto: Andrew Parsons / nº 10 Downing Street

O gabinete do primeiro-ministro não ofereceu imediatamente quaisquer detalhes sobre a pessoa que morreu – idade, estado de vacinação ou quaisquer condições subjacentes.

É possível que esta morte seja a primeira no mundo a ser oficialmente ligada à nova variante, embora isso em si seja de significado limitado. Pode ter havido outros que não foram sequenciados geneticamente para determinar a variante envolvida.

A Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido disse na segunda-feira que 10 pacientes em hospitais de toda a Inglaterra, com idades entre 18 e 85 anos, foram diagnosticados com ômicron na admissão ou antes, com a maioria tendo recebido duas doses de coronavírus

As internações hospitalares ficam aquém das infecções, e as autoridades locais temem que um grande número de pacientes possa sobrecarregar o Serviço Nacional de Saúde. A nova cepa agora está se espalhando mais rápido na Grã-Bretanha do que na África do Sul, onde os primeiros casos foram detectados. E, ao contrário da África do Sul, a Grã-Bretanha já estava lidando com uma onda de casos de variantes delta.

Os primeiros relatórios da África do Sul sugerem que o omicron pode ser mais suave, em média, do que a variante delta com a qual está competindo. Mas mesmo uma pequena parte dos casos graves entre um grande número de infecções pode colocar os hospitais britânicos sob pressão.

O secretário de Saúde, Sajid Javid, disse na segunda-feira que as hospitalizações e mortes “aumentarão dramaticamente” nas próximas semanas.

Falando aos legisladores na Câmara dos Comuns na tarde de segunda-feira, ele disse que o ômicron se tornará a variante dominante em Londres nas próximas 48 horas. Já representou 20 por cento de todos os novos casos na Inglaterra, com casos dobrando a cada dois ou três dias.

Com informações The Washington Post

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se