25.5 C
Vitória
terça-feira, 30 novembro 2021

Reino Unido: Igrejas pedem perdão de dívidas do governo

Diversas Igrejas do Reino Unido se uniram para pedir ao governo que perdoe dívidas das famílias afetadas pela pandemia. Saiba mais!

Várias igrejas estão se mobilizando para pressionar o governo do Reino Unido com o objetivo de fazer com que o Estado perdoe às dívidas das famílias que foram economicamente afetadas durante a pandemia do novo coronavírus.

Por causa do isolamento social, várias pessoas tiveram seus comércios fechados e prestação de serviços interrompidas. Com isso, milhares de famílias precisaram fazer empréstimos financeiros, a fim de suportar o período de crise econômica, o que acarretou novas dívidas.

Agora, mesmo com o retorno gradual das atividades econômicas, essas famílias ainda não possuem condições suficientes para sustentar a própria casa e manter o pagamento das dívidas.

Diante disso, a União Batista da Grã-Bretanha, da Igreja da Escócia, da Igreja Metodista, da Igreja Reformada Unida e da organização Church Action on Poverty criaram o movimento “Reset the Debt” (Resete a Dívida).

“Sabemos que durante o confinamento as pessoas se concentraram em manter a si mesmas e suas famílias seguras e alimentadas — e para muitos isso significava que as contas ou até mesmo algum aluguel não seriam pagos”, afirmou o reverendo Richard Teal, presidente da Conferência Metodista, segundo o Christian Today.

A ideia foi inspirada no evento do Jubileu descrito pela Bíblia Sagrada, quando o povo tinha suas dívidas perdoadas. Para Rachel Lampard, líder da equipe conjunta de Assuntos Públicos para as quatro igrejas, a iniciativa não foca apenas o aspecto econômico, mas também moral.

“Como cristãos, vemos o Jubileu sendo mais do que só economia. O princípio do Jubileu permite que os relacionamentos sejam redefinidos, as comunidades sejam reequilibradas e a dignidade das pessoas seja restaurada. Este é o bem-estar que Deus deseja para todas as pessoas”, disse Rachel.

Se o pedido for atendido, milhares de pessoas que contraíram empréstimos com o Estado poderão respirar aliviadas durante o período de recuperação econômica de suas casas.

“Sem um Jubileu de dívida, aqueles que são menos capazes de aguentar vão continuar carregando o fardo financeiro mais pesado por muito tempo no futuro”, observou Rachel.

*Com informações de Christian Today

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se