22.9 C
Vitória
segunda-feira, 20 setembro 2021

Lula absolvido? “STF é uma vergonha”, declara Silas Malafaia

O STF anulou as condenações de Lula, o ex-presidente se torna elegível para 2022. “Não podemos concordar com a injustiça”, declarou pastor Evaldo dos Santos

Por Priscilla Cerqueira

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal anulou todas as condenações do ex-presidente Lula nesta segunda-feira, 8, pela justiça federal do Paraná, relacionadas às investigações da Operação Lava Jato. Com isso, Lula volta a ser elegível. Como já era esperado, a decisão provocou reações tanto no meio político e também da liderança evangélica.

O presidente da república, Jair Bolsonaro expressou declarou: “Não pode em hipótese alguma um homem só ser o senhor do destino de um julgamento como esse. Então, não sou jurista, mas eu acho que nem é questão de turma, é questão de plenário decidir isso”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), também comentou: “Minha maior dúvida é se a decisão monocrática foi para absolver Lula ou Moro. Lula pode até merecer. Moro, jamais!”

“Alguns políticos se manifestaram em suas redes sociais. “Com todo respeito ao Ministro Fachin, em quase 30 anos de estudo do Direito, eu nunca vi, em sede de Embargos de Declaração, uma decisão com tanto impacto no mérito! Não houve a anulação apenas de uma ação penal, mas de quatro! Se essa decisão for mantida, será difícil crer na justiça”, declarou Janaina Paschoal, deputada estadual (PSL-SP.

Reações na liderança evangélica

A decisão do ministro Edson Fachin também gerou reações no meio evangélico. O polêmico pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, no Rio, divulgou um vídeo em suas redes sociais em que chama o STF de “vergonha”.

“Olha a incoerência e a injustiça do STF. O maior corrupto da história política do país é liberado e um deputado preso por suas palavras. É o fim do poço da moralidade. Isso clama os céus que a justiça divina entre em ação sobre esses homens. Deus tenha misericórdia do Brasil!”, declarou.

O pastor Evaldo dos Santos, presidente do Fórum Evangélicos político do Espírito Santo declarou à Comunhão que esta decisão é preocupante por vários motivos.

“Vulnerabiliza a própria justiça, pois qual a segurança jurídica que teremos? Desconstrói a autoridade do STJ, pois este confirmou as decisões de Curitiba, o STJ não observou os tramites legais? E abre um brecha enorme na Jurisprudência para outras pessoas ficarem impunes”.

Também destacou que a igreja evangélica “prima pela justiça e pela verdade. Por isso precisamos lutar para que estes valores prevaleçam. Não podemos concordar com a injustiça, nem com a impunidade”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se