back to top
18.3 C
Vitória
domingo, 14 DE julho DE 2024

Rainha planejou detalhes do culto fúnebre, e seleção de hinos

Rainha Elizabeth II. Foto: Reprodução.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, estava entre os líderes que prestaram homenagem

Por Victor Rodrigues 

A Grã-Bretanha e o mundo deram um último adeus à rainha Elizabeth II em um funeral de Estado nesta segunda-feira (19) que atraiu presidentes, chefes de Estado e multidões que se aglomeraram nas ruas de Londres para homenagear a monarca que reinou 70 anos.

O dia repleto de eventos em Londres e Windsor começou cedo. Logo, as portas do Westminster Hall, de 900 anos, foram fechadas para os enlutados depois que centenas de milhares de pessoas se apresentaram em frente ao caixão coberto de bandeiras.

Muitos esperaram por horas na fila, inclusive em noites frias, para uma manifestação de pesar e respeito coletivo.

- Continua após a publicidade -

“Eu senti que tinha que vir e prestar meus últimos respeitos à nossa majestosa rainha. Ela fez muito por nós e apenas um pequeno agradecimento das pessoas”, disse Tracy Dobson, uma das últimas a entrar na fila.

Rainha planejou detalhes do culto fúnebre, e seleção de hinos

Diversos membros da realeza e líderes mundiais acompanharam a cerimônia. Foto: Reprodução / Agência Brasil.

Homenagens

Ao todo, 142 marinheiros da Marinha Real puxaram a carruagem carregando o caixão de Elizabeth para a Abadia de Westminster, com o rei Charles III e seus filhos, os príncipes William e Harry, caminhando atrás enquanto os gaiteiros tocavam.

Os carregadores do caixão levaram o caixão para a abadia, onde cerca de 2 mil pessoas, desde líderes mundiais a profissionais de saúde, se reuniram para lamentá-la. Antes do serviço, um sino tocou 96 vezes – uma vez por minuto para cada ano de sua vida.

“Aqui, onde a rainha Elizabeth se casou e foi coroada, nos reunimos de toda a nação, da Commonwealth e das nações do mundo, para lamentar nossa perda, para lembrar sua longa vida de serviço altruísta e com confiança para cometer ela à mercê de Deus, nosso criador e redentor”, disse o reitor da abadia medieval, David Hoyle, no início do funeral. A seguir, os participantes cantaram o hino nacional.

Esta segunda-feira (19) foi declarada feriado em homenagem a Elizabeth, que morreu em (08) de setembro – e centenas de milhares de pessoas desceram ao centro de Londres para participar do momento histórico.

Após o funeral, o caixão – acompanhado por unidades das Forças Armadas em uniforme de gala e membros da sua família – foi levado pelas ruas da capital.

Em Wellington Arch, perto de Hyde Park, será colocado em um carro funerário para ser levado ao Castelo de Windsor – onde Elizabeth passou a maior parte de seu tempo – para outra procissão antes de um serviço de confissão na Capela de São Jorge. Ela será sepultada com seu falecido marido, o príncipe Philip, em um serviço familiar privado.

Presidente do Brasil 

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, estava entre os líderes que prestaram homenagem no caixão da rainha no domingo, enquanto milhares de policiais, centenas de soldados britânicos e um exército de autoridades faziam os preparativos finais para o funeral.

“Na Abadia de Westminster, prestamos uma última homenagem à Rainha Elizabeth II e apresentamos, em nome do fraterno povo brasileiro, nossas orações para que Deus console o Rei Charles III, sua família e seu povo, firmes na esperança de que estaremos todos juntos na vida eterna”, escreveu, em publicação nas redes sociais.

*Com informações da CBN News. 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -