back to top
27.9 C
Vitória
sábado, 22 junho 2024

Que preciso saber antes de entrar em uma missão?

São pouco mais de 440 mil missionários no mundo para dar conta de 3,14 bilhões de pessoas que não conhecem Jesus. Foto: Freepik

Vocação, treinamento, custos, consagração pessoal são apenas alguns dos vários pontos que devem ser levados em consideração antes de se tornar um missionário

Por Cristiano Stefenoni

Não falta campo para quem deseja entrar em uma missão. São pouco mais de 440 mil missionários no mundo para dar conta de 3,14 bilhões de pessoas que não conhecem Jesus. Desse total, 1.537 bilhões são islâmicos, 1.028 bilhões são hinduístas, 621 milhões são budistas e 206 milhões são animistas, segundo dados da Church of God in Christ (COGIC). Mas não basta querer ser missionário. É preciso avaliar uma série de fatores.

A primeira coisa a fazer é entender que missão não é caridade, nem turismo, muito menos passatempo. É um trabalho árduo, que em boa parte das vezes envolve riscos e custos, onde é necessário passar por um bom treinamento antes.

Segundo o Vagas.com, o salário de um missionário no Brasil fica entre R$ 1.410,00 e R$ 3.815,00, sendo R$ 1.927,00 a média. Já o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ferramenta utilizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mostra que a renda mensal de um missionário no país varia de R$ 1.192,49 a R$ 6.737,54, com a média salarial de R$ 2.642,06. Quando em missões internacionais, esses valores tendem a subir.

- Continua após a publicidade -

“O primeiro passo é buscar saber se a sua igreja local envia membros para missão. Depois é necessário conversar com a liderança local para saber como funciona o processo de treinamento e envio de missionários. A pessoa deve levar em consideração a sua vocação específica. Não adianta escolher aquela missão que está mais fácil e simples ou a que custe menos. É preciso escolher segundo a minha vocação”, explica o pastor Luiz Renato Maia, presidente da Missão em Apoio à Igreja Sofredora (MAIS), especialista em missões

Outra parte fundamental para quem deseja entrar em uma missão é fazer um bom preparo. “É preciso um preparo linguístico, cultural, de visão missionária, e claro, bíblica, pois não há como fazer missão sem conhecer as Escrituras. A intimidade com Deus é essencial para que a missão tenha êxito. São mais de 17.500 etnias e 7 mil povos sem acesso à Bíblia e, enquanto houver uma etnia no mundo sem ter ouvido o Evangelho, a missão continuará sendo difícil, porém, necessária”, ressalta pastor Maia.

De acordo com o pastor Eduardo Vieira, fundador e presidente da igreja Assembleia de Deus Nova Vida (ADNV) no Espírito Santo – com mais de 24 anos de atuação missionária –, quanto mais organizada e profissional for a estrutura das missões, melhores serão os resultados.

“É importante ter uma Secretaria de Missões bem organizada, com pessoas qualificadas para cada função e recursos financeiros adequados para que o trabalho possa ser executado com qualidade e resultados. Temos um contrato por período determinado, que o missionário assina assumindo suas responsabilidades e o compromisso de conduta no campo”, esclarece.

O teólogo Lourenço Stelio Rega, que também é eticista e missionário da Sepal (Servindo aos Pastores e Líderes) explica que, antes de entrar em uma missão, é preciso cumprir alguns requisitos.

“Deve haver convicção de seu chamado especial, ter uma vida modelo, se preparar profundamente em Bíblia, no campo da teologia, missiologia, antropologia, comunicação transcultural, especialmente no plantio de novas igrejas para evitar ser apenas um anunciador verbal do plano da salvação em termos conceituais”, ressalta.

Outro ponto ressaltado por ele é quanto ao perfil da pessoa que deseja ser missionário. “Profundidade no conhecimento da Bíblia e teologia para poder saber como abordar as situações concretas do campo onde vai atuar, especialmente em situações culturais e éticas complexas. E quando for plantador de igrejas, levar em conta não apenas a organização funcional da igreja, mas o fortalecimento de seus membros a serem também enviados em seus contextos de vida como sal, luz e embaixadores do Reino”, orienta.

Antes de entrar para uma missão:

  • Partilhe a ideia da formação da equipe com o pastor da igreja, que é o líder e, portanto, peça-chave no processo.
  • Detecte outros membros da igreja que tenham o mesmo pensamento e busque apoio da liderança.
  • Avalie os riscos da missão e os seus custos.
  • Ore diariamente com intensidade, estratégia, seriedade e perseverança, além de buscar a visão de Deus para a obra que pretende desenvolver.
  • Defina metas e desenvolva projetos missionários que atendam às reais possibilidades da igreja.
  • Organize a estrutura do projeto missionário de modo que cada um tenha o seu cargo e ninguém fique sobrecarregado.
  • Os membros da Equipe Missionária devem reconhecer essa função como um ministério, tornando-se cada vez mais apaixonados pelo que fazem.
  • Prepare os missionários por meio de treinamentos específicos para o campo ao qual serão enviados.
  • Assessore a liderança na área de missões.
  • Mantenha a igreja informada sobre o avanço da obra missionária na cidade, no estado, no Brasil e no mundo.
  • Promova campanhas, conferências, congressos missionários, etc.
  • Passe segurança ao missionário para que tenha certeza de que terá todo o suporte necessário.
  • Crie uma metodologia de avaliação de resultados para que sejam feitos os ajustes necessários.
  • Lembre-se que a meta é servir e não fundar igrejas. Mas se houver oportunidade, é importante estabelecê-las.

Fonte: Missõesnacionais.org e órgãos missionários

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -