23.9 C
Vitória
sábado, 27 novembro 2021

Qual o tempo oferecemos a Deus?

Mais Artigos

Se muitas vezes não conseguimos estar com aqueles que estão diretamente ligados a nós, e Deus qual lugar que Ele ocupa em nosso tempo?

Por Sergio de Sousa

Mais um dia começa, saímos de casa, temos o nosso tempo tomado por compromissos, na verdade a nossa agenda está cheia, mal vemos os primeiros lampejos de luz do sol e parece que as 24 horas que temos à nossa disposição não são suficientes para darmos conta de tudo que temos a fazer, é como se o tempo escapasse pelas nossas mãos.

Saímos das nossas casas, muitas vezes tendo que enfrentar um trânsito terrível, que se reflete no congestionamento das grandes cidades, trabalhamos o dia todo, nos dedicamos, damos o nosso máximo e quando voltamos para casa à noite já estamos tão esgotados, que não conseguimos dar atenção para aqueles que são tão importantes em nossa vida como a esposa ou o marido e filhos e aí fica a pergunta: se muitas vezes não conseguimos estar com aqueles que estão diretamente ligados a nós, e Deus qual lugar que Ele ocupa em nosso tempo, ou ainda, qual o tempo que oferecemos para Deus?

Estamos vivendo em uma época em que muitos cristãos vão à igreja somente aos domingos e só pegam na Bíblia quando o pastor faz a leitura oficial do texto sagrado ou quando este vai pregar, e mesmo assim hoje em dia já está se tornando um costume muitos não levarem a bíblia para o culto, porque agora ela está no celular, no tablet, no iphone, enfim os recursos tecnológicos que temos hoje nos facilitaram a vida em muitos sentidos, mas por outro lado em vez de nos aproximarmos de Deus, parece que estamos nos afastando mais dele e por quê isto acontece? É como se o fato de irmos à igreja aos domingos nos trouxesse um sentimento de responsabilidade cumprida, uma sensação de que fizemos a nossa parte e agora podemos ficar tranquilos, afinal, qual é o problema, vamos à igreja todo domingo, cantamos, lemos a bíblia e alguns de nós até faz parte de algum grupo da igreja.

Tudo isso seria válido se realmente o nosso objetivo fosse agradar de fato a Deus, adorá-lo, servi-lo de todo o nosso coração, Jr.29.13. Não estou afirmando com isso que todas as pessoas que vão a culto no domingo à noite estejam vivendo esta situação, mas estou dizendo que quando fazemos isso apenas pelo sentimento de um dever cumprido, então caímos fatalmente na religiosidade, no formalismo que infelizmente vai minando a nossa vida espiritual sem que sequer muitas vezes percebamos. Amós 5.21-23

Diante da situação que nos foi apresentada, então como agradar a Deus, como

servi-lo e adorá-lo de tal forma que realmente ele seja o centro da nossa adoração, como administrar a nossa vida tão corrida, se o nosso tempo acaba se tornando tão escasso devido aos muitos compromissos que temos a cumprir no dia a dia e como fazer isso indo à igreja somente aos domingos, já que, o nosso tempo está tomado de tantos afazeres que até para a família não conseguimos dar a devida atenção?

Existe uma maneira de agradarmos a Deus, adorá-lo, nos oferecermos a ele de uma forma tão profunda que conseguimos sentir seu toque em nosso coração. Você deve estar se perguntando como fazer isso e a resposta é: Não saia do culto, sim é exatamente isso, não saia do culto. Isso não significa que você vai chegar ao culto no domingo e quando acabar a reunião você vai continuar lá, mas que você vai fazer da sua vida um culto, de maneira que em qualquer lugar que você estiver você vai se considerar na presença de

Deus. Rm 12.01 No início você vai se considerar estar na presença de Deus, mas com o passar do tempo você terá crescido tanto em fé, comunhão, gratidão, amor, adoração, graça que você perceberá de fato estar na presença de Deus Sl 73.28. Quando começamos a ter esse relacionamento com Deus, muitas coisas começam a acontecer nas nossas vidas, estamos dirigindo o carro e estamos no culto, trabalhando e estamos no culto, com os amigos e estamos no culto, em casa e continuamos no culto.

Essa é uma das saídas para a superficialidade em que vivemos hoje, mesmo porque quando começamos a ter essa consciência da presença de Deus 24 horas conosco, o desejo pela leitura da bíblia, oração e adoração se tornam uma realidade constante e então coisas que fazíamos que não agradavam a Deus, deixamos de fazer, até o nosso tempo com a família se torna de mais qualidade, porque todos começam a notar que algo aconteceu. De fato saímos do comodismo para viver uma vida de verdadeira comunhão com Deus, porque agora não damos só um pouquinho do nosso tempo para Deus, estamos sempre com Ele Jó 17.24 e as responsabilidades que passamos a adquirir na igreja, são apenas consequência da comunhão que temos com Deus e quando chega o domingo à noite vamos felizes à igreja, porque nossa estada lá, não é mais pelo sentimento de um dever cumprido, mas porque de fato estamos adorando a Deus.

Sergio de Sousa é Pastor da Assembleia de Deus ministério do Belém e Professor de Teologia na FAESP. Faculdade Evangélica de São Paulo.

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas