Mapeamento aponta necessidades dos pastores

Projeto da Convenção Batista de São Paulo quer entender quais as maiores necessidades emocionais dos ministros. “Pastor faz parte do grupo de risco porque lida com pessoas, tem uma demanda muito grande e tem dificuldade de dizer não”, disse pastor Abner Morilha.

De cada 10 suicídios 9 poderiam ser evitados. E muitos desses casos, estão atingindo pastores e líderes ministeriais. Com base nesta estatística, é que foi desenvolvido um “Programa de Mentoreamento do Projeto Josué”, da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP).

A ação, que é inédita do Brasil, é coordenada pelo pastor Abner Morilha, que também é psicólogo. Trata-se de um levantamento com informações sobre a saúde dos ministros do evangelho, que hoje fazem parte do grupo de risco para transtornos emocionais, depressão, ansiedade, “burnout” e suicídio.

Comunhão já realizou um debate sobre o assunto. Saiba mais!

“Sabemos que pastor faz parte do grupo de risco porque lidam com pessoas, tem uma demanda muito grande, tem muita dificuldade de colocar limites, de dizer não pela necessidade que tem de agradar e pela falta de uma pessoa ou um grupo de amigos que ele possa confidencializar suas angústias e dores. E muitas das vezes é pressionado”, explicou o pastor Abner Morilha.

Trata-se de questionamentos e escalas de saúde emocional que vão ajudar a identificar se a pessoa tem algum tipo de problema emocional. O projeto é uma parceria com um professor da Faculdade de medicina da USP. É uma tentativa de descobrir os fatores de risco, quais as maiores necessidades dos ministros e quais as ações necessárias para contemplá-las.

“Todas as informações obtidas são confidenciais e sigilosas. Elas serão utilizadas exclusivamente para fins de análise científica, e serão guardadas com segurança”, enfatiza o pastor Abner.

Ao identificar características comuns envolvendo os pastores, no tocante as dificuldades de ordem emocional, é possível traçar um plano estratégico de abordagem para ajudar a resolver ou amenizar esses problemas.

No site da CBESP tem os questionários para os pastores batistas responderem e participarem dessa etapa importante de análise e desenvolvimento de programas para ajudar os ministros que sofrem problemas emocionais.

SOS Vida

Outra ação implantada para ajudar os líderes pastorais é o “SOS Vida”. Trata-se de um número de telefone específico que é destinado para pastores e familiares.

Segundo o pastor Abner, a intenção é propiciar um espaço onde a família pastoral tenha a plena certeza de que é um lugar de acolhimento, ainda que seja virtual ou por telefone e que tudo o que será dito será confidencial.

“Quem tiver predisposto a cometer suicídio poderá ligar para o SOS vida e terá um especialista para atendê-lo e fazer o acompanhamento para que ele desiste de cometer o ato”, explicou.

Saiba mais sobre o projeto


Leia mais

Jovens cristãos alertam para o suicídio
“Todo pastor precisa ser pastoreado”, ressalta Gedimar
Sucessão Ministerial