Produções cristãs levam milhões de pessoas aos cinemas

Depois do crescimento da música gospel, uma outra frente de produção artística cristã vem se destacando, a indústria cinematográfica. Esse cenário surge de forma natural, já que a quantidade de evangélicos aumenta de maneira contínua a cada ano, ultrapassando os 51 milhões no país e somando 1,5 milhão no Espírito Santo, de acordo com dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A Comunicações Evangélicas (Comev), que começou em meados dos anos 60 como uma locadora de filmes cristãos, a BV Filmes, e a Graça Filmes são exemplos de que há mercado, e crescente, para as obras. Prova disso é o desempenho nas bilheterias. Em 2012, 254 mil espectadores assistiram ao longa-metragem “Três Histórias, Um Destino”. Em 2014, foi a vez de um novo recorde com “Deus Não Está Morto”, que levou 294 mil às salas de cinema. No ano passado, “Você Acredita?” e “Quarto de Guerra” contabilizaram 310 mil e 600 mil de público, respectivamente.

Para o CEO da 360WayUp, Ygor Siqueira, o responsável pelo boom do segmento foi “Deus Não Está Morto”. “A partir dele, as distribuidoras abriram os olhos para esse nicho e começaram a investir pesado. Daí entraram em cartaz ‘Você Acredita?’, ‘Quarto de Guerra’ e ‘Os Dez Mandamentos’. E só no primeiro semestre deste ano, serão mais quatro filmes chegando às salas. Para a segunda metade de 2016, não temos ainda nada sinalizado, mas certamente haverá novidades. É um mercado que não terá queda, só irá crescer. Isso porque é um reflexo do que aconteceu nos Estados Unidos”, explicou.

Segundo o executivo, no caminho de Hollywood – que tem usado histórias bíblicas para megaproduções, como “Noé” e “Êxodo – Deuses e Reis”, há também no Brasil investimentos para representar, por meio da sétima arte, outras impactantes passagens das Escrituras ou relacionadas à fé. “O cinema cristão nunca esteve tão em alta como agora”, afirmou. O sucesso de “Quarto de Guerra”, que fala sobre a importância da oração na superação de problemas conjugais, e de “Você Acredita?”, sobre o poder da cruz de Cristo, ambos lançados em 2015 no Brasil, é uma amostra disso.

O nacional “Os Dez Mandamentos – O Filme”, que estreou em mais de mil salas de todo o país em 28 de janeiro, também atesta a tendência positiva. Com impressionante demanda antes mesmo de chegar às telonas, a saga de Moisés e seu povo, um compilado de cenas da primeira novela bíblica exibida pela Rede Record, tornou-se campeã na comercialização de ingressos, chegando à casa de 2,4 milhões de entradas garantidas pelo público. Na pré-venda, superou as bilheterias de “Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro” (300 mil) e de “Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2” (645 mil).

O filme “Jovem Messias”, cuja distribuição ficou a cargo da Paris Filmes. Em destaque, a vida do Filho de Deus quando tinha 7 anos e vivia com sua família em Alexandria, Egito, de onde fugiram para evitar o massacre de crianças pelo rei Herodes, de Israel. Jesus sabe que seus pais, José e Maria, mantêm segredos sobre seu nascimento e o tratamento que O faz diferente de outros garotos. O casal, porém, acredita que ainda é cedo para lhe contar a verdade da Sua milagrosa vida ao mundo e o Seu propósito. Com a morte do rei, é hora de voltar para a terra natal, Nazaré, sem saber que o herdeiro do trono, o novo rei, é como seu pai e está determinado a matar Jesus.

“Deus Não Está Morto 2”, da Pure Flix, tem no cast nomes como Melissa Joan Hart, Ernie Hudson, Sadie Robertson, Fred Dalton Thompson, Maria Canals-Barrera e Ray Wise. Na trama, dirigida por Harold Cronk, voltam alguns personagens na história inicial, como Trisha LaFache (Amy Ryan), Benjamin Onyango (Pr. Jude), David A. R. White (Pr. Dave), Paul Kwo (Martin Yip). Além disso, há a participação especial da banda Newsboys, cantando a música de mesmo título, vencedora do prêmio K-Love Fan Awards 2014, “God’s Not Dead” (“Deus Não Está Morto” em português).

Para Rich Peluso, vice-presidente da AFFIRM Films/Sony Pictures, a quantidade de cristãos no Brasil é fator decisivo para o sucesso. “‘Ressurreição’ é o maior e mais significativo projeto que a AFFIRM Films/Sony Pictures lançou até hoje. É também o mais amplamente distribuído em todo o mundo, e o Brasil é um dos top 5 países mais importantes para nós. Com uma significativa população cristã e um público normalmente muito engajado com o cinema, o apoio da comunidade de fé no Brasil é fundamental para que possamos continuar a desenvolver, produzir e distribuir filmes ao redor do mundo.”

Claiton Fernandes, vice-presidente da California Filmes, distribuidora de “Deus Não Está Morto 2” e de “Você Acredita?” – que levou mais de 310 mil pessoas aos cinemas em 2015 –, comenta a franca expansão. “O mercado cristão está avançando em todos os segmentos e agora descobriu seu potencial também nas telas de cinema como uma nova forma de entretenimento e conhecimento sobre a Palavra de Deus. As produtoras estão apostando cada vez mais em filmes desse gênero. A cada lançamento é possível ver o crescimento de público nos cinemas para assistir a esses títulos e a ansiedade no que está por vir a cerca da temática cristã. Sendo assim, cria-se um novo hábito na programação familiar e dentro das igrejas, realizando excursões e caravanas para assistir aos filmes, que muitas vezes ilustram de forma real e envolvente aquilo que é ministrado nos cultos. Não se pode ignorar o público dos filmes cristãos. Afinal, se esse gênero está crescendo, é devido à procura e à reação positiva do espectador. Portanto, a California Filmes, que tem por missão atender ao público com uma grande variedade, agora traz em seu catálogo longas de temática fé”, explicou.

De acordo com Ygor Siqueira, responsável pela comunicação e pela divulgação de “Ressurreição”, além de parceira da California Filmes na distribuição de “Deus Não Está Morto 2”, os cristãos estão indo em busca de boas histórias. “Podemos relacionar esse crescimento em paralelo ao sucesso de ‘À Prova de Fogo’ e de ‘Deus Não Está Morto’, que foram bem aceitos nos EUA e no Brasil e despertaram o interesse dos grandes estúdios, que passaram a produzir filmes cada vez melhores, como ‘Deus Não Está Morto 2’ e ‘Ressurreição’. Mas o reflexo desse avanço é o movimento da Igreja aos cinemas, que demonstrou definitivamente a importância de oferecer mais títulos cristãos, pois, mais do que o entretenimento, trazem a mensagem de Deus para impactar vidas”, salientou.

Festival de cinema
Criado com o intuito de fomentar a cultura e difundir valores cristãos, o Festival Nacional de Cinema Cristão (FNCC) foi chegando aos poucos e agora se destaca no calendário do mercado cinematográfico cristão. O evento, assinado pela Agenda Cultural Brasil Bauer Brendler Produções e Promoções Artísticas, dirigida por Veronica Brendler, chega à sua quarta edição em 2016.

“O cinema cristão está crescendo rápido, mas ainda falta. O maior dilema é a falta de recursos e por isso vamos provocar essa contrapartida aos cineastas. No lançamento em março, será apresentado o modelo de projeto, segundo as normas da Ancine (Agência Nacional do Cinema), o Fundo Setorial do Audiovisual. Não dá para ficar na zona de conforto, temos que avançar com as leis de incentivo,” explicou Veronica.

Ouça a matéria

A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita