Os primeiros passos da vida cristã

Como ensinar as crianças a enxergar a vida do ponto de vista de Deus

Você não é um acidente, seu nascimento não foi um erro, sua vida não é um acaso da natureza, seus pais podem não ter planejado sua concepção, mas Deus sim, Ele sabia de tudo desde o início e o aguardava ansiosamente. Mas como explicar essas questões para uma criança? Qual a importância de ensinar aos filhos que tudo começa e termina com Deus?

Segundo o pastor Wellington Machado Fonseca, da Igreja Presbiteriana de Itaparica, Vila Velha (ES), a capacidade infantil de captar/perceber/aprender é tão grande a ponto de várias vezes surpreender os adultos. Observado isso, é um enorme desperdício de oportunidade não aproveitar essa “facilidade”.

“Quando o tema é comunicar que somos Filhos do Deus, criador e sustentador de todas as coisas, aí é que se deve, mais ainda, intencionalmente, mostrar para as crianças essa verdade. Esse conhecimento é um remédio do alto para imunizar contra o niilismo e, assim, viver com propósito e esperança”, disse Fonseca.

Outro efeito positivo no ensino bíblico para os pequenos é a possibilidade de eles irem percebendo que as coisas criadas têm sim propósitos elevados, e todas têm a “digital” de Deus.

Para o pastor Iron de Queiroz, da Igreja Batista Shalon da Octogonal, demonstrar amor e o quanto a criança é importante para os pais é o primeiro passo nessa tarefa. “Se a criança tem na figura dos pais essa demonstração de amor, vai ter mais facilidade de compreender esse amor dentro das escrituras sagradas e como tudo foi criado à imagem e semelhança de Deus”, explica.

O pastor Rick Warren lembra que Deus determinou cada detalhe do corpo humano. “Ele deliberadamente escolheu sua raça, a cor de sua pele, seu cabelo e todas as outras características. Fez seu corpo sob medida, exatamente do jeito que queria. Também determinou os talentos naturais que você possuiria e a singularidade de sua personalidade”, salienta.

Em Salmos 139:15, há uma mensagem clara sobre esse assunto: “Tu me conheces por dentro e por fora, conheces cada osso do meu corpo; conheces exatamente como fui formado, parte por parte, como fui esculpido e vim a existir”.

Mas não há uma receita pronta para apontar o caminho e os ensinamentos a seguir. Então, como fazer? É quase impossível escolher uma forma de repassar essas lições, pois na educação não existe apenas um agente; são inúmeras as situações e experiências que podem interferir na aprendizagem.

“Se a criança tem na figura dos pais essa demonstração de amor, vai ter mais facilidade de compreender esse amor dentro das Escrituras Sagradas e como tudo foi criado à imagem e semelhança de Deus” – Iron de Queiroz, pastor da Igreja Batista Shalon da Octogonal, em Brasília

No entanto, pode-se dizer que o exemplo é o melhor modo de ensinar. “Se falamos uma coisa e vivemos outra, não podemos esperar que nossos discípulos sejam ajustados e firmes. Esse tipo de bipolaridade não é danoso somente a nós. Precisamos falar com empolgação, alegria e emoção (afinal, são coisas mais que excelentes) do que cremos e ter comportamentos coerentes com nosso discurso”, pontua Fonseca.

A Bíblia é clara: “O Senhor cumprirá o Seu propósito para comigo!”. Mas de que maneira as crianças poderão entender que quem dirige todas as vidas é o Altíssimo, que todos são criados para serem eternos? Realmente, não é tarefa fácil compreender que o Pai é soberano sobre toda  história, inclusive a sua. E ainda que todos são criados com propósitos que vão além dessa caminhada aqui na terra.

Entretanto, mesmo que essas afirmações em alguns momentos pareçam fazer pouco volume diante das lidas da vida, são elas que precisam estar bem cravadas na mente. Só o Deus poderoso e inteligente dá sentido e rumo para a existência, seja aqui neste momento da vida, seja  até no porvir.

O Pai não age de forma aleatória, pois planejou tudo de modo extremamente preciso. Quanto mais os físicos, biólogos e outros cientistas aprendem sobre o universo, mais é possível compreender o quanto Ele é adequado à existência humana – feito sob medida com as exatas especificações que tornam a vida possível.

Fonte: Pastor Wellington Machado Fonseca

Michael Denton, pesquisador da genética humana da Universidade de Otago, Nova Zelândia, concluiu: “Todas as evidências disponíveis nas ciências biológicas apoiam a teoria básica […] de que o universo como um todo foi especialmente criado tendo a vida e a humanidade como principal objetivo e propósito; um conjunto no qual todas as facetas da realidade têm seu significado e explicação nesse fato fundamental”. A Bíblia traz a mesma afirmação de milhares de anos atrás: “Ele é Deus; que moldou a terra e a fez, Ele fundou-a; não a criou para estar vazia, mas a formou para ser habitada”.

“Todas as evidências disponíveis nas ciências biológicas apoiam a teoria básica […] de que o universo como um todo foi especialmente criado tendo a vida e a humanidade como principal objetivo e propósito” – Michael Denton, pesquisador da genética humana da Universidade de Otago

Ponto de vida de Deus

Você pode estar se perguntando sobre como ensinar uma criança a enxergar a vida do ponto de vista de Deus, explicando que a estada na terra é uma atribuição temporária, não é mesmo? Essa é talvez uma tarefa ainda mais difícil, pois falar sobre a brevidade da vida é complicado até para os adultos, que ainda não têm isso muito claro em seus pensamentos.

“Quando o tema é comunicar que somos filhos do Deus, criador e sustentador de todas as coisas, aí é que se deve, mais ainda, intencionalmente, mostrar para as crianças essa verdade” – Wellington Machado Fonseca, pastor da Igreja Presbiteriana de Itaparica (Vila Velha/ES)

“Algumas pessoas vivem como se não houvesse amanhã e por isso não se preparam para encontrar com a eternidade. Creio que firmar valores sobre o Deus que atua em cada etapa (fases da vida) e usa cada momento para Sua glória é um caminho a ser percorrido”, avalia o pastor Wellington.

Mas será que existe uma faixa etária indicada para aprender essas coisas? Sim, a idade atual é a ideal. Seja qual for. Até porque não é somente a criança que é beneficiada com o ensinamento. Os responsáveis também são, com o conteúdo e até mesmo com o treinamento de si mesmos, ao ministrar ao coração dos pequenos. Então, todo dia é dia de ensinar, de expor a Verdade de Deus para as crianças. Se a mentes delas não estiver ocupada com isso, certamente, outra coisa preencherá seus pensamentos.

O papel da família

A família é a principal responsável pela educação da criança. E tem as melhores oportunidades: o tempo, a informalidade, a prática. No lar, há a possibilidade de ensinar enquanto se vivencia, e vice-versa. E é (pelo menos deveria) nesse ambiente que o filho passa a maior e melhor parte do seu tempo. E bom lembrar também que a criança é um presente de Deus à família. Deus sabe que em casa ela tem as melhores e mais eficazes oportunidades. Sobre a família estão a bênção e a responsabilidade de falar a respeito das coisas de Deus.

Fonte: Ministério Infantil da Igreja Batista Shalom
O papel da igreja

 A Igreja é parceira da família. Seu tempo, seus métodos e seu tempo de vivenciar são limitados. Portanto, sua influência é menor, mais restrita. Talvez a Igreja desenvolva seu melhor papel em ensinar e desafiar as famílias a observar textos, como o que está em Deuteronômio 6:1-9, que instrui sobre o quê, a quem e com que finalidade ensinar.


Leia mais