Preto no branco no Programa “The noite”

Foto: Facebook

Famosos pela canção “Ninguém Explica Deus” os artistas contaram sobre sua trajetória e planos para o futuro. Sábado(30) grupo vai participar do programa “É de casa”, da Globo

O grupo Preto no Branco participou do programa The Noite, de Danilo Gentili, na noite desta terça (26). Em um bate papo descontraído, Clovis Pinho, Jean Michel e Alex Passos falaram sobre a carreira, composições e projetos.

O grupo já se apresentou em vários outros programas de TV, em emissoras diferentes. Foi a segunda participação do Preto no Branco no The Noite.

“De todas as participações essa foi a mais relevante, pois fomos a principal atração do programa. Tínhamos ido uma vez, mas só para cantar uma música. Mas agora foi diferente. Foi uma conversa bem legal, brincamos e ainda levamos presente para ele. Muitos internautas estão falando pra gente que foi uma entrevista coerente”, contou Alex Passos.

Alcance nas plataformas

Preto no Branco tem tido bom alcance nas plataformas digitais de música. Foram os primeiros artistas a ultrapassarem meio bilhão de visualizações no YouTube.

“A necessidade era fazer um trabalho que inspirasse os jovens. Somos uma banda gospel protestante que às vezes protesta contra tudo que está errado, inclusive na própria instituição”, afirma Alex.

Entre as músicas tocadas no programa, uma delas foi “Mais amor, por favor”. Canção foi lançada recentemente junto com “Nas palavras de Lázaro”. “Essa música é fruto do momento que a gente vive no Brasil. Brigas, discórdias. É para tocar no coração”, afirma Clóvis.

Outra canção, foi “Ninguém explica Deus”. Música é um dos maiores sucessos do grupo.

Preto no Branco durante apresentação no palco do Programa. Foto: Facebook
Música, transformação e críticas

Durante a entrevista, o grupo também mencionou o fato de comporem suas canções como forma de transformar as pessoas. “A intenção é estimular a arte que transforma as pessoas, não a religião”, disse Alex.

E respondeu sobre as críticas que o grupo recebe. “Acho natural que aconteça até certo ponto. São gerações e gerações dentro de uma linha de pensamento. Temos que alcançar um equilíbrio em um lugar onde todos possam se respeitar. Também não queremos provocar ninguém”, diz Clóvis.

Ele complementou dizendo os artistas gospel e seculares transitarem entre os dois lados sem julgamentos. “Sonho com isso. Kanye West já tinha uma mensagem inserida no próprio trabalho secular”.

Veja o teaser da participação do grupo no programa


leia mais

Preto no Branco em “Nas palavras de Lázaro”
Preto no Branco 3: “Há tempo para todas as coisas”