Marido de Bianca Toledo está preso em Bangu

A pastora Bianca Toledo fez um desabafo na madrugada desta quarta-feira (6), por meio de um vídeo no seu Instagram, sobre um assunto que está causando polêmica no meio evangélico. Ela afirma que o ex-marido, pastor Felipe Heiderich, é homossexual e pedófilo.

Segundo a própria Bianca, ele foi preso acusado de pedofilia. O pastor está detido na Cadeia Pública José Frederico Marques, localizada no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu (RJ), conforme informou a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap), na carceragem, desde a manhã de terça-feira (5).

Bianca relata na postagem que ele confessou ser homossexual. Após tal revelação tentou suicídio e foi internado numa clínica psiquiátrica. “Eu sempre fui muito sincera com vocês e no pior momento da minha vida não podia ser diferente. Todos estão perguntando o que está acontecendo, porque estou triste e abatida. Confesso que descobri coisas que não queria ter descoberto e num momento de confronto passamos por um momento muito difícil. Ele passou por uma tentativa de suicídio quando eu não estava em casa e foi internado em uma clínica psiquiátrica. Lá foi diagnosticado com psicose maníaco-depressiva, com neurose grave, múltiplas personalidades”, afirma ela, que também disse que o marido admitiu ser homossexual. “Aquilo que eu descobri que ele tinha foi muito grave, muito grave. Ele chegou a confirmar que tinha um quadro de homossexualidade latente no tempo vigente do meu casamento com ele, o que me fez desejar cancelar esse casamento.”

Confira o depoimento de Bianca Toledo.

A delegada de Polícia Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), informou por meio de nota que na segunda-feira, dia 4 de julho, policiais civis da unidade prenderam um homem de 35 anos, pastor, pelo estupro de uma criança de cinco anos de idade. De acordo com a investigação, a mãe da criança no dia 22 de junho foi até a delegacia para denunciar o crime que teria sido cometido pelo padrasto da vítima no interior da residência no bairro Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro. Foi instaurado inquérito policial e, com base nas provas reunidas, a delegada representou pela prisão temporária do autor que foi decretada pela Justiça pelo prazo de 30 dias.

O pastor Celso Godoy, especialista em segurança, informou que o vídeo feito pela pastora expôs a segurança de Felipe, porque em casos de rebelião, tendo conhecimento de casos de estupro ou pedofilia, os detentos escolhem o acusado desses crimes para morrer primeiro. “Entendemos toda a dor dela com o caso, mas enquanto cristãos temos o dever de preservar a vida de quem quer que seja. Creio que essa foi uma forma de se isentar, por conta do pedido de separação, mas foi uma reação que pode ter colocado a vida dele em risco”, salientou.

O advogado de Felipe, Leandro Meuser, postou na página do Facebook do pastor a nota: “Na qualidade de advogado de Felipe G. Heiderich, venho a público informar que as acusações formuladas contra Felipe são inteiramente falsas e que a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade. Informamos ainda que não iremos em busca da mídia para promover qualquer de nossos interesses, iremos sim provar a inocência de Felipe nos autos do inquérito policial, confiando no trabalho da Policia e da Justiça! Orem por Felipe para que ele tenha forças para superar essa grave injustiça e peçam a Deus que ele faça apenas JUSTIÇA, nada mais!”.

Lideranças
O senador Magno Malta se manifestou na tribuna na tarde de quarta-feira (6), mostrando sua indignação e afirmando ter tido acesso aos autos que apontam o abuso de Felipe contra o filho de 5 anos de Bianca.

“Estou fazendo um registro doloroso e repugnante para todos nos cidadãos que amamos a vida e amamos as crianças. Quando eu comandei a CPI da Pedofilia, muita gente foi presa no Brasil. Eu recebi com muita tristeza e sendo conclamado por lideranças de todo Brasil, líderes do segmento evangélico, me concitando que hoje eu fizesse esse pronunciamento por envolver nomes de pessoas. Assim, fui buscar os fatos. E o fato é que a pastora Bianca Toledo, casada com Felipe Heiderich, descobriu que ele, um pastor, um falso pastor, estava abusando do filho dela de 5 anos. O garoto já foi ouvido e também por psicólogos e psiquiatras. Quem decretou a prisão dele foi o magistrado Paulo César Vieira Carvalho Filho, da 17ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.”

Confira o pronunciamento do Senador Magno Malta sobre o caso.

Para o presidente do Conselho Estadual das Igrejas Evangélicas do Espírito Santo (CEIGEV-ES), pastor José Ernesto Conti, há duas questões em torno da declaração da pastora. “Ninguém está bloqueado das garras do diabo. Apesar do grande milagre na vida da Bianca, se o inimigo não conseguiu derrubá-la, a atingiu através do seu marido. É mais ou menos aquilo que Paulo diz à Igreja de Coríntios (10:12): ‘aquele, pois, que pensa estar de pé, veja que não caia’. Além disso, o motivo da queda do Pr. Felipe (pedofilia e homossexualidade) representa uma das piores causas para destruição de um casamento, ou seja, o diabo jogou muito sujo não dando qualquer chance para uma reconsideração”, avaliou.

Ele alerta que “a comunidade evangélica deve orar para que esta situação encontre um final, o menos doloroso possível, e que não macule ainda mais a já combalida imagem dos verdadeiros cristãos no Brasil.”