23.3 C
Vitória
terça-feira, 16 agosto 2022

Prejuízo do turismo na pandemia ultrapassa R$ 515 bi, diz CNC

Comunhão-turismo
O índice de atividades turísticas registrou um aumento de 75,6% em março de 2022 no país, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

No entanto, a geração de receitas está finalmente próxima do nível anterior à crise sanitária, avaliou Fabio Bentes

As atividades turísticas já somam um prejuízo de R$ 515 bilhões desde o agravamento da pandemia do novo coronavírus no País, em março de 2020, até abril de 2022, calcula a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). No entanto, a geração de receitas está finalmente próxima do nível anterior à crise sanitária, avaliou o economista responsável pelo levantamento da CNC, Fabio Bentes.

Em abril, a ociosidade da capacidade instalada do setor de turismo gerou uma perda de R$ 6,3 bilhões, a menos acentuada desde o início da pandemia. Do prejuízo acumulado na crise sanitária até abril deste ano, 57% ficaram concentrados nos Estados de São Paulo (R$ 227 bilhões) e Rio de Janeiro (R$ 67,4 bilhões).

“A expectativa da CNC é que o turismo brasileiro restabeleça o nível de geração de receitas do período pré-pandemia no terceiro trimestre deste ano, devendo encerrar 2022 com alta de 2,8% em relação ao ano passado – a previsão anterior era de +2,4%”, escreveu Bentes, em relatório.

O agregado especial de Atividades turísticas cresceu 2,5% em abril ante março, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O segmento ainda operava 3,4% aquém do nível de fevereiro de 2020, no pré-pandemia.

Com Informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se