22.9 C
Vitória
domingo, 22 maio 2022

Pneumatologia: O estudo teológico do Espírito Santo

espirito santo
Foto: Unsplash

“A plenitude do Espírito Santo não é uma sugestão, mas uma ordem expressa e ordem para todos os crentes”

Por Marlon Max

O que estamos dizendo quando afirmamos que algo é uma obra do Espírito Santo? Na carta de Paulo aos efésios, o veterano apóstolo trata, de maneira singular, da obra do Espírito Santo. De acordo com o Reverendo Hernandes Dias Lopes, o Espírito Santo é o aplicador da obra da redenção e aquele que reveste a igreja de poder para testemunhar o evangelho ao mundo.

Dias Lopes argumenta sobre como a ação do Espírito Santo é parte da experiência de cada, cada cristão, mesmo que muitas vezes de forma imperceptível. De forma bíblica, o reverendo Hernandes elenca a multiforme ação de Deus.

Em primeiro lugar, o selo do Espírito (Ef 1.13). O selo do Espírito ensina-nos três verdades. O selo fala de propriedade. Somos propriedade exclusiva de Deus. Ele nos criou e nos comprou. Somos duplamente de Deus. O selo fala, também, de legitimidade. Somos propriedade legítima de Deus. O que foi realizado em nós não é uma obra falsa nem híbrida, mas pura. Ainda, o selo fala de inviolabilidade. Temos o lacre do Espírito. Nossa salvação está assegurada.

Em segundo lugar, o penhor do Espírito (Ef 1.14). O penhor aponta para duas verdades importantes. Na linguagem comercial, o penhor é a primeira parcela de um pagamento, com a promessa de que o pagamento final será efetuado. A boa obra que Deus começou a operar em nós, ele mesmo vai conclui-la até o dia de Cristo Jesus. O penhor do Espírito é essa garantia. Na linguagem familiar, o penhor fala do anel de noivado, com a promessa de que o compromisso feito no noivado será consumado com o casamento. A igreja é a noiva de Cristo e em sua segunda vinda, o casamento será consumado.

Em terceiro lugar, o revestimento de poder (Ef 3.16,17). O Espírito nos reveste de poder para que Cristo habite em nosso coração. O poder do Espírito é evidenciado quando Cristo assume o comando de nossa vida. A palavra “habitar” significa habitar não como um turista, mas habitar como um residente permanente, ou seja, habitar como o dono da casa. O turista que se hospeda num hotel não é o dono daquele quarto.

Não pode fazer mudanças no quarto, mas o dono da casa pode fazer reformas e até jogar fora o que não lhe agrada. A evidência do poder do Espírito em nós é o senhorio de Cristo em nossa vida. O Espírito Santo veio para nos revelar Jesus. Seu ministério é o ministério do holofote. O Espírito Santo aponta para Jesus e exalta Jesus em nossa vida.

Não enchemos a nós mesmos nem administramos essa plenitude para outrem. Somos cheios em vez produzirmos essa plenitude. Enquanto nossa vida for como vasilhas vazias, o azeite vai jorrar em nós. “Não há limitação em Deus. Ele não nos dá o seu Espírito por medida. Há sempre mais, infinitamente mais para nós”, destaca Hernandes Dias Lopes.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se