21 C
Vitória
quarta-feira, 29 junho 2022

Pessoas que leem a Bíblia têm mais esperança, diz relatório dos EUA

Foto: Reprodução / Freepik

A pesquisa da Sociedade Bíblica Americana mostrou que os americanos que leem e aplicam consistentemente a Bíblia têm níveis mais elevados de esperança 

Por Victor Rodrigues 

Meditar, ler e se aprofundar na Palavra de Deus torna uma pessoa mais feliz. É o que diz o estudo da Sociedade Bíblica Americana. O relatório intitulado “Estado da Bíblia” realiza uma pesquisa anual sobre como os norte-americanos se comportam no estudo da Bíblia.

Para o diretor de inteligência do Ministério para a Sociedade Bíblica Americana, John Farquhar Plake, Ph.D., a persistência na leitura da Bíblia leva a um nível mais alto de esperança para o futuro.  

“Os cristãos sabem que Jesus nos oferece vida plena; Não há nenhuma surpresa aqui. Mas para aqueles que estão questionando sua fé ou mesmo que precisam de tranquilidade após uma temporada difícil, os dados validam que aplicar as verdades das Escrituras leva a uma melhor saúde, melhores relacionamentos e um maior senso de propósito e significado- tudo isso, ao mesmo tempo em que nos aproxima de Deus”, considerou o diretor. 

Pandemia 

A pandemia da covid-19 deixou muitas pessoas abaladas psicologicamente. O isolamento social e o medo que tomaram conta no período, fez com que muitos sofressem esses efeitos na saúde emocional.

Sendo assim, o estudo também descobriu que a leitura das Escrituras tem ajudado a muitos que lutam contra os efeitos desse tempo tão sombrio. 

O diretor de inteligência do ministério, ainda complementou que “As pessoas que estão profundamente ligadas à Bíblia e à comunidade cristã são notavelmente resilientes”, e “estavam mais aptas a superar certos desafios”.

Ao todo, cerca de 48% dos americanos confessaram que, na temporada do Covid-19, eles encontraram um evento traumático significativo em suas vidas. 

Envolvidos com as Escrituras

O estudo também apresentou que aqueles que estão profundamente ligados à Palavra de Deus, não apenas lendo, mas realmente tendo “interação consistente com a Bíblia” resultando em mudanças de valores e escolhas e transformação de sua relação com Deus, experimentaram uma evidente diminuição do nível de estresse.

Dessa forma, as pessoas que se apaixonaram pelas “Boas Notícias” e não têm problemas em aplicar o que a Bíblia lhes diz são mais propensas a liberar o perdão, mesmo que aqueles que as machucaram não tenham pedido perdão.

Por outro lado, a pesquisa também mostrou que no ano de 2022, um maior número de americanos que estão “Desligados da Bíblia”, com um aumento de 45 milhões em relação ao ano anterior.

Assim, o número de pessoas “Envolvidos com as Escrituras” caiu para seu menor número de 49 milhões desde 2018, embora seja importante notar que a maioria da população sempre apresentou desconexão de sua Bíblia de 2018 a 2022.

*Com informações da Christianity Daily 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se