O raio x da Igreja brasileira

Foto: Reprodução

A pesquisa nacional da Igreja brasileira é inédita e pode ser feita até o final de março por membros das instituições religiosas.

Nas últimas décadas, o crescimento da Igreja Evangélica brasileira foi grande. Segundo o último Censo do IBGE, pelo menos 45 milhões de brasileiros se declararam cristãos. Apesar disso, vários problemas surgiram como o despreparo de líderes, a espiritualidade superficial e a ausência de ministérios transformadores.

Para entender melhor esse processo e indicar possíveis soluções, é que foi lançada uma pesquisa detalhada sobre a Igreja Evangélica Brasileira. A iniciativa é da Faculdade Teológica Sul Americana (FTSA), em parceria com o instituto Servindo Pastores e Líderes (Sepal) e a Associação das Missões Transculturais Brasileiras (AMTB).

“Sabemos que a igreja evangélica cresceu rapidamente nas últimas décadas. Apesar de compreendermos onde estamos e quantos somos, queremos trazer luz e conhecer melhor a qualidade e saúde da igreja local, em relação a diversas áreas pastorais e ênfases ministeriais”, explicou o pastor Rubens Muzio, coordenador da pesquisa.

Qualquer pessoa que seja membro de uma Igreja evangélica pode participar da pesquisa. Ela demora cerca de 10 minutos para ser feita. O prazo é até março. Em seguida, os dados registrados serão compilados em um único material e enviados para líderes das instituições religiosas do Brasil

Pastor Rubens Muzio, coordenador da pesquisa

“As respostas vão nos dar informações valiosas e detalhadas sobre a estrutura organizacional da Igreja, infraestrutura, o investimento em projetos missionários, a funcionalidade dos departamentos ministeriais e outros. Juntas, elas vão compor um quadro mais amplo e global da situação nacional da Igreja”, detalhou o coordenador da pesquisa.

Problemas

O pastor Rubens Muzio, que é missionário de tempo integral da Sepal destaca as necessidades de mudança no perfil da igreja brasileira por conta do crescimento da população que se declara cristã no país. Um deles é ampliar o número de teólogos no Brasil aliado à capitação.

“A deficiência na formação pessoal e no treinamento ministerial de líderes é evidente. Além disso, a falta de preparo teológico tem limitado a habilidade de lidar com os temas contemporâneos. Apenas um pequeno número de teólogos brasileiros estão capacitados para apoiar os milhares de líderes carentes por mentoria e visão.

Outra questão a ser levado em conta é a que a Igreja precisa de maturidade e revitalização para evitar os conflitos existentes nas denominações e até mesmo os desigrejados. Cerca de 95% dos líderes relatam ter experimentado conflitos dentro da instituição. Sem contar, que muitas delas ainda não estão voltadas para missões.

“A ausência de ministérios transformadores (diakonia, reconciliação social, cura de comunidades, serviço social, etc). A maioria das igrejas ainda não estão engajadas com o conceito de Missão integral, no sentido de um evangelho que se expressa em ambas faces: social e espiritual”, concluiu.

Entre aqui para participar da pesquisa

*Com informações do Sepal e Faculdade Teológica Sul Americana


Leia mais

O verdadeiro propósito da Igreja
Como definir uma Igreja verdadeira?
Igreja com propósitos
Apenas 14% das pessoas vão aos cultos por razão espiritual