Persistência na fé: “É pra isso que vivo”

Mesmo sofrendo ataques mediante a perseguição religiosa na Índia, o pastor Kuldeep continua pregando o evangelho no país.Isso é que é persistência na fé

Persistência na fé! O pastor Kuldeep cresceu em um ambiente hindu. Fazia sacrifício de animais e adorava ídolos. Mas ele conheceu Jesus e se tornou um pastor capaz de enfrentar qualquer desafio apra levar a mensagem do evangelho.

Para Kuldeep, o caminho para a vida que ele agora leva começou quando ficou muito doente e começou a procurar por cura. “Eu tentei de tudo para me curar, mas nada funcionou”. Desesperado e seguindo o conselho de alguém para “orar a Jesus”, Kuldeep visitou um pastor de sua região, que orou por ele.

“No momento em que ele começou a orar, senti uma pontada no corpo. Não foi uma sensação agradável e eu deixei a igreja. Não voltei para lá. Mas o pastor vinha me visitar algumas vezes. Toda vez que orava por mim, sentia as pontadas e pedia a ele para não voltar”, contou Kuldeep.

Insistência no erro

Ainda não curado, Kuldeep foi a mais templos para oferecer mais presentes e sacrifícios aos deuses. Ele até foi para aqueles que realizavam magia negra. Tudo em busca de cura. Mas todos os rituais e presentes eram inúteis.

“A dor nunca me deixava”, disse. A doença era tão grave que Kuldeep foi obrigado a deixar seu emprego como operário de uma fábrica. Em vez disso, ele passou a trabalhar como motorista de ‘rikshaw’ (um transporte típico de países do Oriente).

Fé e cura

Todos os dias, no caminho de volta ao trabalho, Kuldeep passava pelo pastor que havia orado por ele. E todos os dias esse pastor insistia em orar novamente pela cura de sua enfermidade. “Eu recusei por um tempo. Mas, como nada havia funcionado, fiquei muito zangado com os deuses e parei de acreditar neles””, compartilha Kuldeep.

Então, um dia, o pastor ligou para ele novamente. Dessa vez, Kuldeep ouviu. “Decidi dar a Deus mais uma chance. O pastor me disse para me livrar de todos os meus ídolos e voltar para a igreja. Eu fiz o que ele pediu. Ele me ungiu com óleo, orou por mim e eu fui finalmente curado. Eu me senti muito leve. Eu queria ler a Bíblia e orar”, contou.

Persistência na fé

Naquele dia, nasceu uma paixão por Jesus, que só cresceria nos próximos anos. Cerca de 30 anos depois, Kuldeep virou pastor. Mas esse mesmo dia também traria perseguição à vida do novo convertido. “Você se converteu, se tornou um cristão. Você é contra nossos deuses!” dizia a comunidade de Kuldeep.

Os desafios continuaram. O dia em que Kuldeep foi atacado não era diferente de nenhum outro dia. Ele compartilha os detalhes com suas próprias palavras.

Testemunho
Pastor Kuldeep é evangelista há 30 anos e não se intimida com a perseguição religiosa na Índia. Foto: Portas Abertas

“Esse dia parecia um dia comum, como todos os outros. Já havia anoitecido, quando cheguei em casa e pedi à minha esposa que fervesse um pouco de leite. Então eu saí no escuro e fiquei na varanda. Estava com sono, mas ainda queria alguns minutos para orar e louvar a Deus.

“Então eu fechei meus olhos. Foi quando meus nervos nas mãos ficaram danificados e vários ossos foram quebrados. Depois que eu gritei, alguns moradores correram em direção a minha casa. Eles pensaram que eu tinha sido mordido por uma cobra.

Foi quando o homem foi embora. Mas eu tinha perdido muito sangue e estava inconsciente. Depois que fui levado ao hospital, os médicos usaram em mim 12 pacotes de sangue para transfusão. Eu mal tinha chances de sobreviver”.

Veio um missionário, parceiro de Portas Abertas orar comigo. Foi o único que veio e nos forneceu mantimentos. As pessoas não pensavam que eu sobreviveria. Mas, graças ao seu apoio, pude ir a um hospital melhor e não morri. Em vez disso, posso continuar testemunhando o que Deus fez por mim. Graças a você, ainda estou vivo e posso continuar com meu ministério”.

“É para isso que vivemos”

A paixão de Kuldeep pelo Evangelho e a determinação em compartilhá-lo não quer dizer que a vida seja fácil.  Aperseguição na Índia se tornou tão violenta que o rosto de Kuldeep deve ser mantido oculto para a proteção dele e de sua família. A cura que ele recebeu não quer dizer que ele ou sua esposa se sintam seguros.

Apesar do risco de perseguição, Kuldeep continuará seguindo a Jesus o Ide. Essas raízes de 30 anos de caminhada com Jesus são profundas. “Eu não estou seguro. Mas está tudo nas mãos de Deus. Minha esposa sabe disso. Ela ainda me envia para pregar. É para isso que vivemos”, disse Kuldeep.

De várias maneiras, agora está fazendo pelos outros a mesma coisa que aquele pastor persistente fez por ele há 30 anos. “É a responsabilidade que Deus me deu. Estou pronto para sofrer. A Bíblia nos diz para estarmos preparados para sofrer por Sua causa. As pessoas precisam de Jesus”.

*Da Redação, com informações de Portas Abertas


Leia mais

Índia: Governo implanta “célula missionária”
Ron Adkins: “Deus me usa para recuperar coisas mortas”