28.4 C
Vitória
domingo, 11 abril 2021

Cristãos indianos feridos em ataque

Relatos locais dizem que 35 radicais hindus invadiram uma reunião de oração na vila de Raikashipur, quando mais de 150 cristãos se reuniram para orar.

Vinte cristãos indianos foram feridos em um ataque a uma reunião de oração em Uttar Pradesh, na Índia, de acordo com a International Christian Concern (ICC).

O ataque aconteceu no dia 2 de julho, quando a multidão chegou à reunião de oração em vários veículos e agrediu os participantes com paus e dispararam uma arma. Além de ferir pessoas, destruíram móveis e instrumentos musicais.

Ram Kumar Gautam liderou as reuniões de oração da aldeia em um galpão improvisado nos últimos cinco anos e disse à ICC que, em média, cerca de 300 pessoas participam.

“Eu não dormi nem comi direito por quase uma semana”, ele disse. O ataque à nossa reunião de oração na segunda-feira teve consequências devastadoras. Muitos têm ferimentos graves com os membros quebrados. Além disso, um caso falso foi registrado contra seis de nós sob severas seções do IPC [Código Penal Indiano].

As acusações dizem respeito a tumulto e agressão e a “atos deliberados e maliciosos, destinados a indignar sentimentos religiosos ou qualquer classe ao insultar sua religião ou crenças religiosas”.

Gautam disse: ‘Conduzimos pacificamente orações toda segunda-feira e as pessoas participam voluntariamente dessas orações. Nós nem conversamos sobre conversões, mas eu sou acusado de converter pessoas. As pessoas vêm à nossa oração e se curam. É por isso que as pessoas escolhem frequentar regularmente as orações.

William Stark, gerente regional do ICC, disse: “O artigo 25 da Constituição da Índia diz que todo indivíduo tem o direito de professar, praticar e propagar livremente a religião de sua escolha. Para mais de 150 cristãos, esse direito foi violado na última segunda-feira, quando radicais hindus os agrediram por meramente praticar sua fé.

“As autoridades indianas devem levar esses 35 radicais hindus à justiça em Raikashipur. Até lá, os direitos de liberdade religiosa da Índia permanecerão apenas palavras no papel e os ataques contra cristãos e outras minorias religiosas continuarão aumentando em número e gravidade.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, disse que seu governo vai proteger a liberdade religiosa.

*Com informações de Christian Today

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se