22.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Período pandêmico aumenta estresse entre pastores, aponta estudo

Líderes reconhecem a grande demanda do ministério pastoral, mas buscam por renovação física e mental

Por Patricia Scott 

Estudo desenvolvido pela Envisionar [instituição que trabalha para capacitar e ajudar líderes cristãos a cumprirem seu chamado e ministério] revela que, pelo menos 49% dos pastores, estão estressados por conta do aumento das demandas ministeriais. O levantamento foi realizado com 306 pastores de 45 denominações, de todas as regiões do Brasil. Vale frisar que a pesquisa aponta que os líderes já estavam cansados antes da crise pandêmica, o que agravou a situação.

“Muitos deles não suportaram a demanda da pandemia e, simplesmente, abandonaram suas posições de liderança”, frisa o relatório da Envisionar, que continua: “Alguns até foram para outras igrejas pela necessidade de se abastecerem. Isto fez com que muitos pastores ficassem ainda mais sobrecarregados”.

O Pr. Luz Cláudio Lopes, da Igreja Evangélica Reviver em Cristo, reconhece que está cansado e estressado. “A pandemia alterou profundamente nossas rotinas, expectativas e agendas”. O exercício do Ministério Pastoral, ele pondera, é por si só cansativo e estressante devido as suas demandas, mas nessa pandemia as coisas tomaram uma proporção jamais vista. “Muitos cristãos tem apresentado problemas psicológicos, transtornos de ansiedade, crises existenciais, e as primeiras válvulas de escape são os pastores”, avalia.

Pr. Luiz Claudio Lopes reconhece que o período tem sido estressante e cansativo (Foto: Arquivo Pessoal)

Para o Pr. Gilson Oliveira Junior, do Movimento Convergência, o sentimento de frustração tem sido grande desde o início da pandemia. “Frustra tentar fazer mais e não conseguir. Orar, e a doença continuar. Perdi dois amigos pastores. Fiquei muito abalado”, revela, acrescentando que o estresse e o cansaço chegam, porque tem que lidar com perdas. “O luto é difícil. Exige presença, aconselhamento pastoral”. Por outro lado, Pr. Gilson afirma se alegrar e buscar forças na Palavra de Deus. “Mantenho meus pensamentos no trono para graça. Assim, sou renovado”.

No entendimento do Pr. Adilson Passos dos Santos, da Igreja Batista Nova Filadélfia, pandemia mexeu com muitos líderes psicologicamente e emocionalmente. “Não poderemos ficar presos a esse momento. O Espírito Santo nos ajudará a superá-la”, frisa. Ele prossegue expondo que, quando se tem um corpo ministerial conectado com a liderança, o pastoreio flui melhor.

Período pandêmico aumenta estresse entre os pastores, aponta estudo

“O número de visitas a serem realizadas é grande. Então, algumas vezes gera estresse e cansaço”, afirma a Pra. Rosi Santos, da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD). No entanto, a líder afirma que tem buscado colocar limite de atendimento diário e priorizar a saúde. “Preciso estar bem para que Deus continue a me usar no ministério”, avalia e assevera: “A pandemia fez com que tivéssemos de nos reorganizar para que pudéssemos dar conta de todas as demandas”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se