Intolerância religiosa na mira do Congresso

A proposta é do pastor e deputado Federal Alex Santana (PDT-BA). Foto: Reprodução

Pela proposta, a pena máxima de prisão passa de 1 ano para 20, já a mínima de 1 mês para 10 anos.

Se depender do deputado Federal Alex Santana (PDT-BA) a intolerância religiosa será crime hediondo. Ele apresentou um projeto de lei no Congresso que propõe aumentar em até 20 anos a pena dos que praticarem crimes dessa natureza.

O parlamentar, que é pastor da Assembleia de Deus lembra do episódio da apresentação da Escola Gaviões da Fiel, durante o carnaval 2019, que mostrou Jesus apanhando do diabo. E justificou: “festas carnavalescas e movimentos festivos de alguns segmentos, vimos símbolos religiosos católicos e evangélicos sendo vilipendiados a despeito do argumento de ser arte e cultura”.

Pela proposta, a pena máxima de prisão passa de 1 ano para 20, já a mínima de 1 mês para 10 anos. “Mexer com a religião de ‘outrem’ é de uma ofensa gigantesca. Mexer com o que para outro é considerado sagrado não pode continuar desta forma impunemente”, declarou o deputado do PDT”, concluiu.

*Com informações das agências


Leia mais

Não à intolerância religiosa e a discriminação
Fé sem templo
“Não houve atos ilícitos”, diz Anajure sobre Gaviões da Fiel

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!