back to top
20.9 C
Vitória
domingo, 23 junho 2024

Pastores comentam a onda de violência nas escolas do país

Foto: FreePik

Eles consideram ser natural o medo e a insegurança, mas observam que os cristãos devem confiar em Deus e cobrar providências do Estado  

Por Patricia Scott 

Com a onda de ataques a escolas em diversas partes do país nas últimas semanas, muitos pais estão assustados e receosos quanto à rotina dos filhos nas unidades de ensino. Outra situação que tem gerado alarde e insegurança são as mensagens de apologia à violência e ameaças a colégios que circulam nas redes sociais.

O pastor Valdir Steuernagel afirma ser natural que os pais estejam muito inseguros e nervosos com os ataques recorrentes nas escolas nesses últimos dias no país. Segundo ele, os acontecimentos mostram uma espécie de iceberg quanto às crianças e à segurança. “Na montanha de gelo, a gente só vê a ponta, mas há a parte escondida. A nossa sociedade está violenta e enraivecida a tal ponto que não há fronteiras respeitadas. Quando escolas passam a ser invadidas é sinal que a sociedade está muito doente”, avalia o autor do livro “Fazendo Teologia de Olho na Criança”, da Mundo Cristão, e embaixador da Visão Mundial no Brasil. 

Valdir diz que a sociedade precisa set tratada de várias formas e ações. Uma delas, segundo o pastor, está relacionada ao papel das igrejas, que devem ser agentes de paz, espaços de cuidado e uma espécie de faróis, que identificam sinais de alerta e perigo. Ele salienta ainda que a sociedade, assim como os cristãos, precisa participar da construção de grupos, de comissões, de encontros com o objetivo de criar uma proteção para crianças e adolescentes. “A visão Mundial tem um programa chamado de Comissões de Proteção na Escola. Essas comissões precisam ser criadas, sustentadas e multiplicadas”.

- Continua após a publicidade -

Medo X liberdade

Diante do atual cenário de violência e ameaças, o pastor Rodolfo Capler também considera natural que os pais e mesmo as própria crianças sejam dominadas pelo medo. “Alias. quando o poder público não resguarda os cidadãos, o pânico se alastra e consequentemente as pessoas se afastam de suas atividades, buscando se livrar das inseguranças”, diz o autor do livro “Geração Selfie”, Editora Quitanda.

Ele cita o filosofo polonês Zygmunt Bauman, autor da obra “Confiança e Medo na Cidade, ao afirmar que “afastar-se de tudo por causa do medo é arriscar-se a própria liberdade”. Os criminosos e os perpetradores, de acordo com Rodolfo, desejam justamente causar terror e tirar a liberdade das pessoas.

“Por isso, os pais devem permanecer com suas rotinas mesmo diante do medo e da insegurança, levando os filhos à escola. Medo gera mais medo. Portanto, o único caminho é confiar em Deus e evocar a segurança do Estado”, assevera o pastor da Igreja Batista Alternativa, em Piracicaba (SP), que finaliza: “Enfrentar o medo é uma clara mensagem de resistência aqueles que desejam instalar o terror. A vida continuará. Nada é mais precioso do que a nossa liberdade”.

Prudência e vigilância 

Dentro desse contexto, no último dia 4 de abril, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, anunciou que o governo federal disponibilizará uma verba de R$ 150 milhões a estados e municípios para o fortalecimento de rondas policiais escolares. Ele afirmou ainda que o contingente de policiais federais que monitoram as redes sociais e outros ambientes virtuais, em busca de ameaças, foi aumentando de 10 para 50 agentes.

“A palavra de Deus fala que precisamos ser prudentes e que em vão vigia o sentinela se Deus não guardar a cidade. É claro que nos precisamos ter prudência para enviá-los a escola e recomendo que você envie, mas, que a escola tenha segurança. O governo tem projetos para reforçar a segurança nas escolas e isso vai nos dar mais tranquilidade”, afirma o apóstolo Estevam Hernandes, líder da Igreja Renascer em Cristo.

De acordo com ele, “não podemos nos ausentar do mundo. Temos armas espirituais para nos dar livramentos. Todos os dias, não deixe de ungir seu filho, o abençoe, peça proteção a Deus e o envie em paz e segurança”.

Estevam também cita a passagem bíblica de Salmos 91.1, que diz: “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.” E completa com Salmos 91.7: “Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido.”

Para concluir, o apóstolo prega: “Seguindo esses princípios, você pode levar seu filho à escola, sim, e nós vamos lutar para que o governo aumente a segurança e possamos ter algumas regras definidas não só nas escolas particulares, mas também nas escolas públicas, porque estamos à mercê dessas contas nas redes sociais com essa ignorância, brutalidade dessa bestialidade. Isso vai acabar em nome de Jesus.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -