back to top
24.9 C
Vitória
quarta-feira, 24 DE julho DE 2024

Pastora Denise Seixas está afastada das funções ministeriais

Pastora Denise Seixas. Foto: Reprodução / Bola de Neve Church.
Pastora Denise Seixas. Foto: Reprodução / Bola de Neve Church.

Atualmente, as decisões da igreja estão sob o comando do Conselho Deliberativo, já que o apóstolo Rinaldo Pereira, líder e fundador, também está afastado

Por Patricia Scott 

Devido ao momento delicado e complexo que enfrenta, a pastora Denise Seixas está afastada das funções que desempenhava na Bola de Neve Church. A decisão do Conselho Deliberativo, que assumiu a igreja, foi divulgada nos perfis oficiais da denominação, que está presente em 34 países e possui 560 templos, nas redes sociais.

Segundo o advogado Renê Koerner, que atua para a instituição, a decisão será mantida até que a situação, que envolve a pastora e o marido, o apóstolo Rinaldo Pereira, líder e fundador da igreja, esteja esclarecida. Ele disse que ambos apresentaram versões conflitantes sobre o houve entre o casal a partir de uma crise conjugal.

A denominação não divulgou quem são os integrantes do Conselho Deliberativo nem como eles foram escolhidos. O apóstolo Rina também está afastado do ministério, conforme nota oficial divulgada pela denominação.

- Continua após a publicidade -

Para a advogada Gabriela Manssur, que representa Denise, a passagem do comando para o conselho foi uma estratégia de Rina para manter o controle sobre a igreja. “Ela não foi comunicada de seu afastamento, não autorizou e a medida não tem respaldo jurídico”, salientou, acrescentando que Denise é quem deveria assumir o controle em caso de afastamento do apóstolo. 

A igreja aguarda o desenrolar das investigações que estão sendo realizadas pela 9ª Delegacia de Defesa da Mulher, na zona noroeste de São Paulo, para se manifestar sobre o caso. A Justiça determinou uma medida protetiva em defesa de Denise. Ela impede que o Rina chegue a menos de 300 metros da esposa, de seus familiares e de eventuais testemunhas do caso. O líder religioso também está impedido de tentar manter qualquer contato com a pastora, mesmo que por outras pessoas.

De acordo com a advogada, Denise retornou para a casa em que morava com o pastor depois de ele ter deixado o local. “Apresentamos fotos, vídeos e áudios que comprovam as denúncias, a Justiça precisa cumprir o protocolo de proteção para os casos de violência de gênero”, comentou Gabriela.

Por meio da assessoria de imprensa, Rina negou “qualquer prática violenta”. Ele afirmou ainda que “confia na apuração isenta e técnica de todos os fatos pela Polícia Civil e Ministério Público”. Ele ainda não foi ouvido oficialmente no inquérito.

Em nota divulgada pela Secretaria da Segurança Pública, a delegacia informou que a pastora Denise já foi ouvida e recebeu medidas protetivas. Além disso, divulgou que o caso foi registrado, no dia 10 de junho, como “ameaça, difamação, injúria, lesão corporal, violência doméstica, falsidade ideológica e violência psicológica contra a mulher”. Com informações FolhaPress

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -