Pastor Luciano Manga: “Devemos passar para esta geração a proposta de intimidade com Deus”

Difícil falar de música cristã no Brasil sem falar do pastor Luciano Manga. Ele é na verdade, para muitos, uma figura que marcou história, e tem influenciado, ao longo de décadas, milhares de músicos pelo Brasil afora.

Agora, Luciano Manga, pastor do Ministério Vineyard Rio, desde 2003, lança o CD “Brilhe tua luz em nós”, ao vivo. Um álbum que retrata bem a fase do cantor no ministério e que acaba de chegar ao mercado. Este trabalho marca uma nova etapa do Vineyard com produções solo de seus líderes de de louvor.

Manga esteve em julho no Espírito Santo, para participar da primeira edição do Encontrão – evento de louvor e evangelismo, e aproveitou para conversar com os jornalistas da Revista Comunhão, esclarecendo um pouco mais deste álbum e de sua carreira.

“Me senti muito livre para poder cantar, para poder me expressar. É um CD que mostra isso, e se parece muito comigo. Trata-se de uma proposta nova do Ministério Vineyard, de gravar trabalhos solos, e contou com a participação de pessoas importantes da equipe. Um trabalho bonito, com arranjos simples, dentro dos propósitos da Vineyard Music”, relatou.

O CD foi gravado em duas sessões no Teatro Municipal de Bauru, São Paulo, com lotação máxima – que é de cerca de 300 pessoas – e teve as participações especiais de Fernandinho; Greta Lira, Fabiano Alves e Marcelino Cardoso, da Vineyard Piratininga.

“Destaco o conteúdo das canções, que contam com muita teologia nas letras, sem distorções. A proposta deste CD é proporcionar uma adoração moderna, com canções contemporâneas, mas sem perder a essência. Por isso sempre estou ouvindo as pessoas, principalmente, os mais velhos, pois eles me ajudam muito a ter discernimento crítico quanto ao conteúdo. Quando eles observam as letras e elas chamam a atenção observo que as mesmas possuem um propósito e sinto que é um sinal de que estamos no caminho certo”.

“Brilhe tua luz em nós” apresenta um repertório composto por 12 canções no estilo pop rock, que é uma forte característica de Manga, sendo algumas composições de integrantes do Ministério Vineyard no Brasil e outras, versões de sucessos da Vineyard internacional. Manga destaca a canção Que vem do céu, onde ele e Fernandinho apresentam o seu estilo impactante de louvar. Outras que o pastor faz questão de ressaltar são as canções ‘Seja o centro, Entrega e O meu amor’, que receberam novos arranjos.

Luciano ressaltou a rapidez com que o CD foi concluído e informou que entre a gravação e o lançamento transcorreram apenas três meses. “Escolhemos as canções, ensaiamos, produzimos e, em um dia apenas, fizemos as gravações. Gravamos em abril e lançamos o trabalho em julho. Foi rápido”, declarou.

Para o pastor e compositor, o novo CD tem poesia e identidade. “O que vemos nos dias de hoje, generalizando, é que falta poesia, teologia e identidade nas músicas. Devemos, então, passar para esta geração, que está sem identidade, a proposta de intimidade com Deus. Eu acho que quando as coisas são muito bem alicerçadas, e Jesus já havia dito isso, podem vir as tempestades que elas não vão atrapalhar. Temos que fazer uma avaliação dos alicerces. Vemos que as tempestades estão vindo e muita gente está balançando. Esta é a nossa proposta: construir alicerces sólidos”, acentuou.

De “Tio” Cássio ao Vineyard
Luciano “Manga” Azevedo Kuhn converteu-se ao protestantismo em 1977, num acampamento para jovens. Frequentou por quatro meses a Igreja Batista de Perdizes, em São Paulo, mas como era longe de sua residência, passou a freqüentar a igreja Cristo Salva (do “Tio” Cássio, que faleceu em 1998), por ser mais próxima. Foi lá que acabou se envolvendo com a música e integrando o Oficina G3. Tornou-se vocalista da banda junto com Túlio Régis e, em 1989, foi ordenado pastor.

Deixou a igreja em 1990 e, juntamente com amigos, foi plantar uma comunidade cristã, iniciativa da qual se desligou após um ano. Foi então para a igreja Metodista, onde esteve à frente de projetos evangelísticos. Nessa mesma época, lançou o primeiro álbum com o Oficina G3, “Ao vivo”. Em 1992, foi convidado para ser pastor da Renascer em Cristo e lá acabou desenvolvendo inúmeros ministérios. Porém, em 1996, a liderança pediu para que deixasse São Paulo e fosse para o Rio de Janeiro. Desligou-se de suas funções como bispo em 1998, e também da banda Oficina G3, em função da carreira pastoral, que demandava mais do seu tempo.

Acabou desenvolvendo um relacionamento com a Vineyard e começou a trabalhar com o grupo. Em maio de 2003 fundou a Vineyard Rio, onde hoje é pastor e participa da equipe da Vineyard Music. Ele esteve presente nas gravações dos CDs: “Vem, esta é a hora”, “Entrega”, “Atitude”, “Mais que paixão” e “Grande Deus”, e recentemente no DVD “Vem, esta é a hora”, da Vineyard. Gravou em 2003 os CDs solo “Fóssil praise” e “Sol à meia-noite”.

Em 2005, passou a apresentar o programa Fábrica Som, na Rede Boas Novas, e atualmente continua com o ministério Vineyard Brasil. Em 2009 lançou um livro, intitulado Meus dias no Oficina G3, cujo sucesso o autor atribui à divulgação de fãs na internet. É casado com Cristina Kuhn, e pai de dois filhos: Cauê e Lucca.

Sobre o ministério, ele diz: “Estou hoje mais voltado para o pastoreio do que para a música, mas como surgiu o convite e a música está ‘na veia’, não resisti a aceitei este desafio”, finalizou.

Discografia
Com o Oficina G3
1990 – Oficina G3 – Ao vivo
1993 – Nada é tão novo, nada é tão velho
1996 – Indiferença
Solo
2003 – Fóssil Praise
2003 – Sol à meia-noite
Com a Vineyard
2001 – Vem, esta é a hora
2002 – Entrega
2003 – Atitude
2004 – Mais que paixão
2006 – Grande Deus
2008 – Vem, esta é a hora – DVD