back to top
24.9 C
Vitória
sexta-feira, 24 maio 2024

Pastor é libertado no Irã devido à anistia nacional

Foto: Article 18

Youssef Nadarkhani já foi beneficiado algumas vezes pela iniciativa  governamental, mas com frequência é perseguido por autoridades 

Por Patricia Scott 

No Irã, Yousef Nadarkhani, de 46 anos, foi libertado da prisão, depois de quatro anos,  no último dia 26 de fevereiro. O pastor ganhou a liberdade por conta de uma anistia nacional emitida pelo líder supremo do país, aiatolá Khamenei, em comemoração ao o aniversário da Revolução Islâmica de 1979. Um dos líderes da igreja, ele já foi preso várias vezes devido à fé cristã, inclusive condenado à pena de morte e absolvido

A Christian Solidarity Wordwide (CSW), organização cristã que luta pela liberdade religiosa no país, informou que Yousef ainda está em Teerã para concluir alguns procedimentos formais relacionados à libertação. Segundo a instituição, o pastor encontrará a família, na cidade de Rasht, assim que a documentação estiver pronta.

Vale salientar que Nadarkhani é um dos quatro cristãos que foram presos, em 13 de maio de 2016, por agentes de segurança que fiscalizavam reuniões cristãs. No entanto, mesmo tendo sido libertados sob fiança em 2017, eles retornaram à prisão durante outra série de fiscalizações por parte do governo iraniano, entre os dias 22 e 25 de julho de 2018. Um grupo da ONU sobre Detenção Arbitrária publicou, em 2021, afirmou que a detenção continuada do pastor Yousef não havia um fundamento lógico, dependendo sempre da vontade das autoridades.

- Continua após a publicidade -

Enquanto o pastor Nadarkhani esteve preso, os filhos do líder cristão perderam o direito de frequentar a escola, de acordo com Portas Abertas. Segundo a instituição missionária, um deles chegou a ser agredido pelo mesmo agente que prendeu Youssef, há quatro anos.

O Irã ocupa o 8º lugar na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2023 elaborada por Portas Abertas, que elenca os 50 países onde é mais perigoso ser seguidor de Jesus. Os cristãos são obrigados a frequentar igrejas clandestinas devido a linha governamental islâmica.

Com informações CSW

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -