Pastor ocupa vaga na Comissão de ética da Presidência

Foto: Facebook

Milton Ribeiro, da Igreja Presbiteriana de Santos, passa a integrar colegiado que investiga ministros e servidores.

O pastor Milton Ribeiro, da Igreja Presbiteriana de Santos, doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Direito Constitucional pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para a Comissão de Ética da Presidência.

A comissão é responsável por investigar ministros e servidores do governo, e foi criada em 1999 na gestão de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Essa foi a primeira indicação de Bolsonaro para o colegiado.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, Ribeiro tomou posse no último dia 21 de maio, para um mandato de três anos, podendo ser reconduzido pelo mesmo período. A comissão é formada por sete advogados, sendo os outros seis indicados pelo ex-presidente Michel Temer (MDB).

A Comissão de Ética da Presidência já foi alvo de polêmica esse ano quando, em janeiro, logo após assumir a Casa Civil, o ministro Onyx Lorenzoni (DEM) demitiu 16 dos 17 servidores que trabalhavam no colegiado, como medida de “despetização” da máquina estatal.

Ainda de acordo com o jornasl, em março, o advogado Paulo Henrique Lucon assumiu a presidência da Comissão de Ética e impôs um novo ritmo ao colegiado, atuando para destravar ou arquivar processos que estavam parados desde 2016.

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) emitiu uma nota criticando a matéria do jornal O Estado de S. Paulo sobre a nomeação de Milton Ribeiro, por omitir as qualificações acadêmicas do novo integrante da Comissão de Ética da Presidência.

Leia a nota na íntegra aqui


Leia mais

O novo governo do Brasil e a Igreja Evangélica

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!