Índia – Tribunal absolve Pastor cego de falsas acusações

Foto: Reprodução

Caso levou três anos para ser resolvido. Em 2016, pastor Balu Saste, sua esposa e outros 11 cristãos foram acusados ​​sob uma lei anticonversão, que o acusado rejeitou. A absolvição do Pastor Balu Saste é um triunfo.

O tribunal de justiça em Madhya Pradesh, na Índia, retirou todas as acusações contra o pastor cego Balu Saste, que lidera uma igreja pentecostal em Badwani. Ele havia sido preso por supostas conversões forçadas em 2016. O tribunal decidiu que o pastor e outras 12 pessoas, incluindo sua esposa, não tentaram converter ninguém à força ao cristianismo.

O caso aconteceu no dia 14 de janeiro de 2016, quando o pastor foi detido pela polícia em Kukshi na sequência de uma queixa apresentada por Shankar Singh, de Dehar.

De acordo com o último, os cristãos estavam fazendo proselitismo entre alguns moradores de sua aldeia, uma acusação que os cristãos rejeitaram, notando que eles nunca tentaram converter ninguém, mas apenas procuravam pregar os ensinamentos do Evangelho.

Antes de serem presos, o pastor, sua esposa e os outros cristãos foram violentamente espancados por uma multidão enfurecida de extremistas hindus de direita. As autoridades acabaram por acusar o grupo sob o Ato de Liberdade Religiosa de Madhya Pradesh, a lei anticonversão do Estado, bem como a seção 153 (A) do Código Penal Indiano.

“A absolvição é uma vitória para a democracia, para a Índia secular, e dá um vislumbre de esperança aos cristãos perseguidos na Índia”, disse Sajan K George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC).

Em sua opinião, “a lei anticonversão é uma ferramenta de assédio, intimidação contra a minoria cristã minúscula e vulnerável. Propaganda maliciosa contra a fé cristã e o fantasma das conversões provoca elementos marginais para desencadear seu terror contra o povo cristão”.

*Com informações de CBN News


Leia mais

Alívio! Asia Bibi deixa o Paquistão!
Pastor que estava preso na Turquia é liberto