Pastor Bahrom é liberto da prisão no Tajiquistão

Foto: Portas Abertas

Cristãos de todo mundo participaram de campanhas de oração e de envios de cartões para o fortalecimento do pastor Bahrom

Depois de 2 anos e 8 meses, um final feliz. O pastor Bahrom Kholmatov foi liberto da prisão no Tajiquistão. Isso era esperado para acontecer em março de 2020. O líder da Igreja Sou Min Sum Bogim foi acusado falsamente de extremismo religioso em 10 de abril de 2017, na cidade de Yavan.

Desde então, estava recluso sem autorização para receber visitas dos membros da igreja e tinha proteção especial, para impedir que compartilhasse o evangelho com outros presos. Mas essas medidas não foram suficientes para calar o discípulo de Cristo. A Portas Abertas agradece a todos os irmãos e irmãs que oraram e participaram da campanha de cartões para encorajar Bahrom e seus familiares.

Os momentos de reclusão foram muito estressantes para todos os envolvidos no caso. No início, a esposa dele, Gulnora, só podia falar com o marido pelo telefone. Depois foi autorizada a visitar o pastor, mas durante uma das idas até a prisão, teve convulsões e precisou ser levada até um hospital.

A cristã estava depressiva com toda a situação que viviam. Além disso, alguns parentes a consideravam culpada pelo esposo estar no cárcere. Já os membros da igreja chegaram a tentar entregar presentes ao líder cristãos, mas foram impedidos pelas autoridades.

O pastor Bahrom agradeceu as orações dos cristãos ao redor do mundo e o suporte dado à família dele enquanto estava na cadeia. Reconheceu também que a experiência serviu para moldar o caráter de Cristo em todos.

“Eu gostaria de expressar minha enorme gratidão a todas as pessoas que me apoiaram e oraram por mim, pela minha família e por minha igreja. Todos esses três anos, eu senti a oração de vocês, elas me ajudaram a ficar de pé, ampararam minha preciosa esposa e filhos e socorreram os membros da minha igreja que estavam sem pastor”, reconhece o líder cristão.

*Com informações de Portas Abertas


leia mais

Nigéria: cristãos sequestrados são libertados