Presidente nigeriano: Fé do pastor Andimi inspira a todos

Muhammadu_Buhari
Presidente da Nigéria Muhammadu Buhari (Foto: Ben Curtis / AP Images)

Presidente da Nigéria elogia pastor executado pelo Boko Haram e critica os  terroristas por dividir cristãos e muçulmanos no país

Nigerianos em todos os lugares, estão de luto pela morte do pastor Lawan Andimi. O pastor foi sequestrado pelo Boko Haram, e após dias no cativeiro, foi morto por recusar a renunciar a fé cristã.

Os nigerianos, juntamente com a Igreja dos Irmãos da Nigéria (EYN), reconhecem o pastor por suas obras: curando, cuidando, alimentando e educando, particularmente nas regiões nordeste do meu país – naquelas áreas ameaçadas por terroristas por muito tempo.

Boko Haram executa pastor que testemunhou em vídeo. Saiba mais!

O ministério do pastor Andimi estava localizado a apenas 100 quilômetros da cidade de Chibok, de onde em 2014 o mundo testemunhou o sequestro chocante de 267 alunas. Desta vez  vez foi um homem da igreja. Ele foi levado pelo grupo terrorista sete anos depois como evidência de que os terroristas são totalmente funcionais e invictos.

O Boko Haram não é mais uma ameaça unificada, mas se fragmentou em vários rivais. Essas lascas são degradadas: reduzidas a atos criminosos. Devemos graças às forças de defesa nigerianas, reforçadas por nossa parceria com as forças armadas britânicas e americanas, que estamos vencendo essa luta no campo.

Presidente da Nigéria 

Desde que fui eleito para o cargo em 2015, 107 das meninas de Chibok foram libertadas . Hoje buscamos os outros”, revela o presidente da Nigéria Muhammadu Buhari.

“O cristianismo na Nigéria está se expandindo e representa cerca de 45% da nossa população hoje. No entanto, 90% de todas as vítimas do Boko Haram são muçulmanas: elas incluem um sequestro imitador de mais de 100 alunas muçulmanas, juntamente com seu único colega cristão; tiroteios dentro de mesquitas; e o assassinato de dois imãs proeminentes”, completa o presidente.

Os terroristas têm como alvo os vulneráveis, os religiosos, os não religiosos, os jovens e os idosos sem discriminação. Não podemos permitir que eles dividam bons cristãos e bons muçulmanos daquelas coisas que nos ligam à vista de Deus: fé, família, perdão, fidelidade e amizade entre si”, relata Buhari.

Segundo Muhammadu os terroristas hoje tentam construir muros invisíveis entre nós. Eles falharam em suas ambições territoriais, então agora eles procuram dividir nosso estado de espírito, puxando-nos um do outro.

“Boko Haramsignifica ‘ensinamentos ocidentais são pecaminosos’. Eles alegam como passagens “de prova” do Alcorão, que os muçulmanos devem combater os “pagãos” como justificativa para ataques a cristãos e aos muçulmanos que não carregam caminhão com eles”,finaliza o presidente da Nigéria.

Testemunho em Cativeiro