19.4 C
Vitória
terça-feira, 16 agosto 2022

Para frente é que se anda: como superar traumas do passado

Foto: Wiresrock / Reprodução

Psicóloga especialista em casais e aconselhamento familiar Karine Rizzardi compartilha, no lançamento “Foguete não tem ré”, técnicas de como superar a dependência emocional para manter a saúde mental

Por Victor Rodrigues

A psicóloga Karine Rizzardi compartilha no livro “Foguete não tem ré”, lançado pela Editora Vida, diversas histórias traumáticas.

Conforme narra os relatos de sofrimento e dependência emocional, sem revelar a identidade dos pacientes, a profissional especialista em casais e aconselhamento familiar apresenta soluções de como se desvincular dos traumas e seguir em frente.

Com mais de 20 anos de experiência na capacitação em neurociência relacional, psicoterapias e terapia de casal e família, a escritora explica como identificar os cinco principais sinais que indicam uma fase traumática. 

Entre os sintomas estão: “sempre acreditar em uma mentira; tornar-se diferente do jeito que costumava ser; estar constantemente com medo; demonstrar comportamento e emoções negativas; e o espalhamento da dor – ou seja – descontar as próprias angústias em terceiros”.

Prosseguir 

Livro “Foguete não tem ré” da autora Karine Rizzardi. Foto: Reprodução

Toda vez que destrava um abalo emocional em sua mente, você precisa trabalhar com elementos como sons, cheiros e imagens […] ao entender os traumas, é possível aceitar porque muitas pessoas não gostam de determinados alimentos ou certos cheiros. Se um trauma fica associado a um momento difícil, é comum evitar ter contato com o objeto causador. (Foguete não tem ré, p. 72)

Foguete não tem ré é um manual abrangente sobre dor, perdas, superação e como lidar com tudo isso dia após dia.

Com objetivo de impedir que os leitores sejam vítimas do próprio sofrimento, mesmo de forma inconsciente, Karine Rizzardi apresenta técnicas e exercícios de como trabalhar a saúde emocional para superar términos de relação, abusos ou quaisquer traumas afetivos.

O título da obra faz referência ao foguete, máquina projetada para ir sempre em frente, sentido que todos devem seguir para afastar as mazelas do passado.

“Por mais que você se obrigue a abrir mão de suas tralhas emocionais e ter somente uma cápsula para sua sobrevivência em um lugar inócuo, siga adiante. Não é hora de olhar para trás e também não é hora de olhar para o lado. Olhe para dentro, olhe para frente e olhe para cima”, confidencia a psicóloga.

Sobre a autora

Karine Rizzardi, é psicóloga em Cascavel, no Paraná, e especialista em casais e aconselhamento familiar.

Karine Rizzardi, autora do livro “Para frente é que se anda: como superar traumas do passado”. Foto: Divulgação

Ela também possui formação em desenvolvimento dos grupos SBGD e capacitação em neurociência relacional e psicoterapias, além de atualizações no tema “Sexualidade”, na Wheaton College (Illinois, EUA) e na Chicago University (CCFH, EUA).

É palestrante e idealizadora do projeto “Mulheres modernas à moda antiga”. Karine é casada com Adriano Pereira (advogado) e mãe de três filhas, Ana Carolina, Ana Clara e Ana Vitória.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se