Bulgária, Polônia e Hungria rejeitam a ‘ideologia de gênero’

Boyko Borisov, presidente consevador da Bulgária.

A decisão foi apoiada por 8 votos a 4, incluindo as cinco mulheres que fazem parte do Tribunal Constitucional.

A Bulgária, país do Leste Europeu, se uniu a dois de seus vizinhos – Polônia e Hungria – contra a ideologia de gênero. O Tribunal Constitucional do país, que rege as leis gerais do território, recusou no último dia 27, por oito votos a quatro, uma determinação de que gênero é uma construção social.

Os magistrados votaram contra uma pauta de combate à violência contra a mulher justamente por causa da alegação que continha. Eles argumentaram que, “se a sociedade já não diferencia o homem da mulher, a luta contra a violência às mulheres se torna impossível”.

Um dos partidos com a mais forte posição contra a Convenção de Istambul, o VMRO, recebeu a notícia como uma vitória, porque se isso não tivesse acontecido, teria introduzido “a inaceitável noção de gênero em creches e escolas”, abrindo o caminho para a equalização da união de pessoas do mesmo sexo com o casamento ou para as leis referentes à transexualidade como aquelas que governam em muitas comunidades autônomas na Espanha.

Com informações de Actuall*