Mais uma igreja é fechada na Argélia

manifestacao-cristaos-argelia800x500
Cristãos locais protestam contra o fechamento de igrejas. Foto: Portas Abertas

De 2017 para cá, 12 igrejas evangélicas foram fechadas no país. Argélia é o 17º país que integra a lista mundial de perseguição aos cristãos

Mais uma igreja foi fechada na Argélia. Desta vez um templo na cidade de Orã, foi obrigado a fechar, após determinação do tribunal. Desde novembro de 2017 até hoje, 12 igrejas, afiliadas à Igreja evangélica do país (EPA, sigla em francês) foram obrigadas a fechar.

País completou 57 anos de independência e conflitos. Saiba mais!

Em janeiro de 2018, essa mesma igreja foi obrigada a “regularizar” sua situação em um período de três meses. Restrições impostas sobre a igreja na época incluíam ter apenas atividades limitadas para adoração semanal e proibiam estrangeiros de servir na igreja.

Em fevereiro de 2018, o governador de Orã emitiu uma ordem de fechamento e a igreja foi selada. Em junho no mesmo ano, ela teve permissão para reabrir.

Mas em setembro de 2019, o governador apresentou um caso judicial pedindo por seu fechamento, por não haver uma licença, de acordo com a “Portaria 03-06 para Regulamentação da Adoração de Crenças Não Muçulmanas”.

Permissão

A portaria foi decretada em fevereiro de 2006. Ela estipula que uma permissão deve ser obtida antes de usar um prédio para adoração não muçulmana. Entretanto, as autoridades falham em garantir permissões para igrejas, incluindo afiliadas da EPA.

No entanto, tornou-se uma prática comum para afiliadas da EPA alugar as instalações e depois informar às autoridades de segurança regional e municipal.

Essa é a segunda vez que a corte argelina julga que igrejas são consideradas ilegais caso não tenham uma permissão da “Comissão Nacional para Adoração Não Muçulmana”. A igreja de Orã apelará da sentença. A Argélia integra a lista mundial de perseguição aos cristãos.

*Com informações de Portas Abertas


leia mais

Podemos e devemos fazer mais para cristãos perseguidos
Angola – Duas mil igrejas cristãs já foram fechadas