Organização Mundial da Saúde faz alerta mundial sobre a microcefalia

A OMS declarou que a microcefalia é uma emergência internacional

A Organização afirma que por enquanto o zika vírus não está na lista por falta de provas. Apesar do número de pessoas infectadas, a OMS diz que não há uma relação comprovada entre os dois fenômenos e precisa de provas científicas. Pesquisadores brasileiros insistem na relação entre o vírus e a má-formação.

 

A recomendação da OMS é que os governos de todo o mundo adotem políticas de vigilância máxima. Somente doenças como a H1N1, pólio e ebola já foram classificados dessa forma. A Organização vai buscar recursos internacionais para financiar novas pesquisas e tentar descobrir a relação entre o vírus e a má-formação de bebês em gestação. De imediato, continuam as medidas para conter a proliferação do mosquito e que mulheres grávidas adotem medidas extras para se proteger do mosquito.
Ainda segundo a OMS, em poucos meses, o vírus passou de “suave” para “alerta”. E numa escala de zero a três, o zika vírus ocupa o grau 2 de emergência. A entidade acredita ainda que novos casos vão surgir em países e regiões ainda não infectados.