19.9 C
Vitória
sexta-feira, 18 junho 2021

“Oração à porta” em bairros de Manaus

O projeto da igreja Chama Church tem levado orações às famílias de Manaus, no Amazonas, diante do medo da pandemia do coronavírus

Em tempos de dor, medos e incerteza que as pessoas têm enfrentando durante a pandemia da Covid-19, uma igreja evangélica em Manaus, capital do Amazonas, encontrou uma forma de prestar apoio espiritual aos seus fiéis por meio do projeto “Oração à Porta”. Os fiéis ‘transformam a frente da casa dos moradores de Manaus em igreja’.

O projeto da igreja Chama Church funciona da seguinte forma: o apóstolo acompanhado de dois levitas (cantor e o violinista) visitam as famílias que ligam para a igreja pedindo oração e ali mesmo da calçada, com segurança, é reservado um momento de oração, louvor e uma palavra bíblica direcionada para ‘alimentar a fé’ daqueles que perderam a esperança.

“O objetivo do ‘Oração à Porta’ é dizer para cada família: isolado sim, sozinho nunca. É levar uma mensagem de fé, encorajamento e apoio. Dizer para eles que tem alguém que os ama e se importa com eles. E que nos momentos que nos sentimos solitários e deprimidos, existe um Deus que é um socorro bem presente na angústia”, destaca o apóstolo e presidente da Chama Church, Richard Mattos.

oração_porta-Manaus
O objetivo do ‘Oração à Porta’ é dizer para cada família: isolado sim, sozinho nunca. Foto: Chama Church

Alcance

O projeto já ministrou para famílias nos núcleos da Cidade Nova, além de bairros como Riacho Doce, Canaranas, Francisca Mendes, Alvorada, Braga Mendes e Alfredo Nascimento.

“Nos sentimos como soldados em uma missão, diariamente saímos para uma missão de resgate. São várias pessoas apavoradas, doentes, depressivas, desempregadas, enlutadas. Um ambiente de guerra, a devastação emocional disso tudo é sem precedentes. Sentimos um peso de compaixão enorme em nosso coração por nosso povo. Nossas armas são: uma palavra, uma oração, um momento de adoração que podem mudar o destino de uma família”, ressalta Mattos.

O músico Alison Rabelo é um dos voluntários do projeto. Ele diz que se sente bem em ser um ‘instrumento’ de Deus em levar paz em momentos de desespero.

“A música é algo divino e uma linguagem universal, principalmente nesses dias de desespero. O sentimento que tenho é de estar levando uma mensagem de Deus por meio de um canal que ele criou, a música. O talento que ele me deu está sendo bem usado. E percebemos que diversas pessoas são alcançadas”, conta.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se