26.6 C
Vitória
segunda-feira, 6 dezembro 2021

OMS recomenda dose de reforço da CoronaVac em idosos

É preferível que pessoas com 60 anos ou mais que receberam duas doses da CoronaVac, segundo os especialistas, tomem a terceira dose do próprio imunizante

Por Patricia Scott

Uma dose de reforço contra a covid-19 deve ser aplicada em idosos completamente imunizados com a CoronaVac e em pessoas com imunidade comprometida que tomaram qualquer vacina. Essa é a recomendação de um grupo de especialistas que assessora a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgada nesta segunda-feira (11).

“Ao implementar esta recomendação, os países devem inicialmente ter como objetivo maximizar a cobertura de 2 doses nessas populações e, posteriormente, administrar a terceira dose, começando nos grupos de idade mais avançada”, ressalta um comunicado do Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas da OMS (Sage, na sigla em inglês).

É preferível que pessoas com 60 anos ou mais que receberam duas doses da CoronaVac, de acordo com os especialistas, tomem a terceira dose do próprio imunizante. No entanto, eles ponderam que, ao se levar em conta a disponibilidade das vacinas, o uso na dose de reforço de um imunizante diferente do aplicado nas duas primeiras doses pode ser considerado.

Em indivíduos com imunidade comprometida, o Sage orientou ainda a aplicação da terceira dose de qualquer vacina. Isto porque esse grupo populacional, de acordo com a OMS, tem uma resposta imune mais baixa aos imunizantes. Então, corre mais riscos ao contrair o coronavírus. A recomendação vale também para imunizantes fabricados pela Sinopharm, além da CoronaVac que é produzida no Brasil no Instituto Butantan, em São Paulo, em parceria com a chinesa SinoVac.

Com informações Agência Estado

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se