back to top
25.5 C
Vitória
quinta-feira, 25 DE julho DE 2024

O que a Bíblia ensina sobre o endividamento?

O cristão deve agir com honestidade e integridade, evitando prometer mais do que pode cumprir

Por Francilene Santos

A Bíblia, fonte inesgotável de sabedoria, oferece orientações valiosas sobre a gestão financeira e sobre as consequências da falta de conhecimento para lidar com as finanças. Entre essas conseqüências, está o endividamento. Segundo levantamento do Serasa, em março/2024, o número de envidados no Brasil chegou a 72 milhões de pessoas, o equivalente a 44% da população.

Em tempos de estímulo ao consumo acelerado, compreender os princípios bíblicos pode ser um guia poderoso para evitar a armadilha das dívidas. Este artigo explora o que as Escrituras ensinam sobre o endividamento e como o cristão deve agir para manter-se financeiramente saudável.

Evitar dívidas sempre que possível é um ensinamento bíblico. A Bíblia aconselha cautela em relação ao endividamento. Em Provérbios 22:7, está escrito: “O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta”. Esse versículo ressalta a dependência e a vulnerabilidade que o endividamento pode causar. O endividado se coloca em uma posição de servidão ao credor, o que pode limitar sua liberdade. O endividamento excessivo pode levar à ansiedade e ao estresse, além de outras conseqüências relacionadas à saúde física e emocional.

- Continua após a publicidade -

Em Romanos 13:8, Paulo instrui: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros”. O cristão deve agir com honestidade e integridade, evitando prometer mais do que pode cumprir. A integridade financeira é um testemunho poderoso para a comunidade e reflete o caráter de Cristo em nossas vidas. Jesus nos chamou a sermos luz e sal da terra, e isso inclui nossa maneira de lidar com dinheiro e dívidas.

Viver com prudência é importante para uma vida financeira que reflita a sabedoria e o conhecimento em todas as áreas das nossas vidas, inclusive na área financeira. Em Provérbios 21:5, lemos: “Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre acaba na miséria”. A pressa em adquirir bens ou assumir compromissos financeiros sem um planejamento adequado pode levar ao endividamento. Deus nos chama a sermos prudentes e a tomar decisões financeiras sábias, que promovam a prosperidade e a paz de espírito.

Como o Cristão deve agir para não cair na armadilha das dívidas?

1. Planejamento Financeiro: o planejamento é essencial para evitar o endividamento. Lucas 14:28-30 ilustra a importância do planejamento: “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular os gastos, para ver se tem com que a acabar?”. Antes de assumir qualquer compromisso financeiro, o cristão deve avaliar sua capacidade de pagamento e planejar suas finanças de forma realista. Estabelecer um orçamento mensal e segui-lo rigorosamente é uma prática essencial para manter as finanças em ordem.

2. Construir uma Reserva de Emergência: a Bíblia também ensina sobre a prudência e a preparação para o futuro. Em Provérbios 6:6-8, somos aconselhados a aprender com a formiga, que “armazenando no verão o seu alimento, na época da colheita ajunta o seu sustento”. Ter uma reserva de emergência pode ajudar a lidar com imprevistos sem recorrer a empréstimos. Essa prática não só oferece segurança financeira, mas também reflete a sabedoria de planejar para o inesperado, conforme ensinado nas Escrituras.

3. Buscar Sabedoria e Conselho: em Provérbios 15:22, lemos: “Onde não há conselho, fracassam os projetos, mas com a multidão de conselheiros há bom êxito”. Consultar especialistas financeiros e buscar orientação em comunidade cristã pode proporcionar insights valiosos para a gestão financeira. O conhecimento pode ajudar a evitar armadilhas financeiras e a tomar decisões mais informadas e prudentes.

A Bíblia oferece fundamentos sólidos para a gestão financeira, incentivando os cristãos a evitar dívidas. Ao seguir esses princípios, os cristãos podem honrar a Deus com suas finanças e evitar a armadilha do endividamento, vivendo de maneira prudente e abençoada. Os ensinamentos bíblicos não são apenas orientações espirituais, mas também práticas eficazes para alcançar estabilidade financeira e paz interior e a verdadeira prosperidade.

Francilene Santos é Educadora Financeira.

 

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas