23.9 C
Vitória
sábado, 27 novembro 2021

O papel da igreja no fortalecimento da paternidade

Mais Artigos

Eu fico, de fato, assustado, como a igreja ainda não percebeu o quanto tem sido influenciada pela sociedade moderna no que toca à desvalorização da paternidade

Por Gilson Bifano

Basta prestar a atenção como o Dia das Mães é celebrado nas igrejas e como o Dia dos Pais também é.
Pode não ser na sua igreja, mas na maioria das igrejas a discrepância é gritante.

Creio, firmemente, que uma das grandes tarefas das igrejas evangélicas nos dias de hoje é se conscientizar de que tem uma missão muito importante nessa questão da paternidade.
O primeiro passo está justamente nesse ponto, o da conscientização.
A sociedade dos dias de hoje claramente não tem interesse em valorizar a figura do pai, do valor da paternidade. Existem muitas forças que trabalham nesse sentido. Uma delas é a própria força do movimento feminista.

A igreja precisa aceitar que isso é real, que não se trata de uma teoria da conspiração.

Um outro caminho é trabalhar com os próprios homens para que os mesmos entendam que enquanto pais eles tem uma importância tremenda na vida dos seus filhos, da família e da própria sociedade.

Pesquisas mostram que a presença de uma figura paterna saudável na vida de uma criança tem impactos positivos para o resto da vida. Ao passo que a ausência do pai, ou da presença de um pai abusivo pode causar sérios danos na formação da personalidade de uma criança.

Uma tarefa séria da igreja é começar a pensar num discipulado bíblico, consistente e contínuo junto aos homens para que eles percebam sua importância para os filhos, para a família e para a própria sociedade.
Estudos mostram que muitos dos que estão encarcerados no sistema prisional não tiveram, em suas vidas, a presença dos pais na forma saudável e positiva.

Por outro lado, um trabalho com as mulheres e mães se faz necessário. Ao tempo que se trabalha com os homens na conscientização da figura paterna, as igrejas devem trabalhar com as mulheres/mães para que deixem seus maridos serem pais. Muitos homens não exercem, na plenitude, o papel do pai porque suas esposas, sem perceberem, se tornam empecilhos dificultando assim o exercício desse papel.
Acho interessante na história bíblica que Deus fez com que Jesus, seu Filho, fosse criado num lar onde a presença da maternidade era forte, mas não menos do que o da paternidade.

Homens precisam inserir suas vidas na vida dos filhos para serem pais e as mulheres/mães precisam deixar que isso aconteça no dia a dia da vida familiar. Seja deixando os pais trocarem as fraldas, dando banho, penteando o cabelo, levando os filhos ao médico, participando das reunião de pais e mestres na escola.
São ideias, reflexões sobre alguns passos para que os pais sejam celebrados, valorizados e amados pelos filhos e famílias.

Gilson Bifano é diretor do Ministério OIKOS, palestrante, escritor e conferencista na área de casamento e família.

 

 

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas