25.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Mais uma vez! Novo comando na saúde do Brasil

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Marcelo Queiroga será o quarto ministro da Saúde desde o começo da pandemia de Covid-19

Por Priscilla Cerqueira

O Brasil passa por sua terceira transição de ministro da Saúde durante a pandemia da Covid-19. Nesta segunda-feira, 15, Marcelo Queiroga, 55 anos, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, foi convidado para substituir o general Eduardo Pazuello no cargo.

Ele se reuniu com Bolsonaro no Palácio do Planalto após a recusa da médica Ludhmila Hajjar para assumir o lugar do general Eduardo Pazuello. Queiroga é defensor da vacinação contra Covid. Em um vídeo na página da Sociedade Brasileira de Cardiologia, ele fala da importância da imunização para combater a pandemia.

“É continuidade, não há rompimento. Os senhores não estão acostumados com isso, estão acostumados com o político largar a caneta e ir embora. Nós faremos a transição de forma correta e de continuidade quando nos for determinado”, disse Queiroga, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo um dia antes da nomeação.

Diferentemente de Eduardo Pazuello, Queiroga mostrou-se favorável ao isolamento social e ao uso de máscaras para tentar controlar a transmissão da COVID-19 no Brasil.

Formação

Marcelo Queiroga é natural de João Pessoa. Formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba, fez residência em cardiologia no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro. Tem especialização em cardiologia, com área de atuação em hemodinâmica e cardiologia intervencionista.

“A conversa foi excelente, já o conhecia há alguns anos, então não é uma pessoa que tomei conhecimento há poucos dias. Tem tudo no meu entender para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento em tudo que o Pazuello fez”, disse o presidente aos apoiadores em Brasília.

*Com informações das Agências

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se