back to top
23.8 C
Vitória
terça-feira, 23 DE julho DE 2024

Nikolas defende liberdade de opinião parlamentar e nega crime

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

No Dia Internacional da Mulher, o deputado fez um discurso no plenário da Câmara que dividiu opiniões

Por Patricia Scott 

Para esclarecer o pronunciamento que fez na tribuna do plenário da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (8), Nikolas Ferreira (PL-MG) emitiu, hoje (9), um comunicado. O discurso do parlamentar gerou grande repercussão e dividiu opiniões.

O deputado federal ressalta, na nota, que a intenção foi alertar a sociedade sobre a redução do espaço das mulheres em razão da inserção de pessoas trans nos esportes. Ele salienta ainda que “não houve, em momento algum da fala, o crime de transfobia ou discurso de ódio, mas sim o direito constitucional do parlamentar em expressar opinião sobre um determinado tema”.

Sobre as notícias divulgadas a respeito do pedido de cassação de seu mandato por parte do PSB, Nikolas Ferreira diz que não recebeu qualquer notificação. O parlamentar afirma que, com tranquilidade, aguarda já que entende que não cometeu crime.

- Continua após a publicidade -

No plenário da Câmara

Devido ao Dia Internacional da Mulher, Nikolas Ferreira ironizou uma pauta progressista de gênero. No plenário da Câmara, nesta quarta-feira (8), o deputado estava de peruca loira e se apresentou como “deputada Nikole”.

Nikolas defende liberdade de opinião parlamentar e nega crime
Foto: Reprodução

“Hoje, no Dia Internacional das Mulheres, a esquerda disse que eu não poderia falar, pois eu não estava no meu local de fala. Então, solucionei esse problema. Hoje, eu me sinto mulher. Deputada Nikole”, afirmou.

No discurso, o parlamentar disse as mulheres biológicas estão perdendo espaço. “Tenho algo aqui muito interessante para poder falar. As mulheres estão perdendo seu espaço para homens que se sentem mulheres. E para vocês terem ideia do perigo de tudo isso, vocês podem perguntar, qual o perigo disso, deputada Nikole. Sabe por quê? Por que eles estão querendo colocar uma imposição de uma realidade que não é a realidade”.

Nikolas levantou ainda a hipótese de ser preso devido a sua postura. “Eu, por exemplo, posso ir para a cadeia, deputado, caso seja condenado por transfobia. E por quê? Por que xinguei, pedi pra matar? Não. Pois no Dia Internacional das Mulheres, há dois anos, eu parabenizei as mulheres XX. Ou seja, é uma imposição. Ou você concorda com o que eles estão dizendo, ou caso contrário você é um transfóbico, homofóbico e preconceituoso”.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -