back to top
25.9 C
Vitória
quinta-feira, 20 junho 2024

Nicarágua proíbe evangélicos de celebrar o Dia da Bíblia nas ruas

Evangélicos no Dia da Bíblia em Masaya, na Nicarágua. Foto: Facebook/Alcaldía de Masaya

A polícia nicaraguense impediu pastores de celebrarem o Dia da Bíblia nas ruas, marcado para o último domingo de setembro

Por Lilia Barros

Neste domingo, dia 25 de setembro, os pastores não vão poder celebrar o Dia da Bíblia, uma tradição entre os evangélicos na Nicarágua. Eles foram impedidos de realizar um ato comemorativo do Dia da Bíblia, que é celebrado no último domingo de setembro. A notícia veio a público pela imprensa local, que informou que a polícia de Ortega proibiu a celebração dos 453 anos da tradução da Bíblia nas ruas do país “por razões de segurança”.

regime de Daniel Ortega está afetando a Igreja Evangélica naquele país. O Conselho Nacional de Pastores Evangélicos da Nicarágua enviou uma carta a líderes cristãos orientando que as festividades sejam celebradas dentro dos templos, por causa da proibição.

“Através desta carta informamos que devido às orientações das autoridades civis, não será comemorado o 453º aniversário da tradução da Bíblia para o castelhano, eles expressam que o motivo é a segurança dos participantes, por isso convidamos cada um de vocês a realizar suas celebrações em seus templos, elevando orações a Deus para que possamos viver tranquila e pacificamente”, diz o texto.

- Continua após a publicidade -

Alguns pastores disseram que pediram autorização à Polícia Nacional para um ato público do Dia da Bíblia, mas tiveram a solicitação recusada.

“Se há uma orientação a nível nacional de que não temos autorização para fazer uma marcha ou nenhuma concentração em comemoração ao dia da Bíblia, a mesma coisa que estão fazendo com a Igreja Católica [estão fazendo com os evangélicos], porque estão proibindo toda atividade pública em massa nas ruas”, disse um pastor sob anonimato, por medo de represálias.

Cristãos no alvo do governo

O pastor acredita que este ato da polícia é um sinal de que a situação pode se tornar ainda pior na Nicarágua. “Que Deus nos livre, mas perseguições como a que estão fazendo contra padres e bispos podem vir contra os evangélicos também”, destacou.

O advogado Yader Morazán lembra que manifestar atos religiosos é um direito previsto no artigo 69 da Constituição da Nicarágua e que a Polícia deveria eliminar as condições que impedem o exercício religioso, não o contrário.

Com informações do Guiame

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -