17.7 C
Vitória
segunda-feira, 4 julho 2022

“Não se assustem com essas guerras”, diz Augustus Nicodemus

Foto: Divulgação

O pastor presbiteriano afirma que o mundo não acabará “através de uma guerra nuclear” e enfatiza as palavras de Jesus: “Ainda não é o fim”

Por Patricia Scott

O teólogo presbiteriano Augustus Nicodemus destacou, na última segunda-feira (28), durante o “Café com Bíblia”, que as guerras têm acontecido desde que Jesus alertou sobre os sinais do fim dos tempos. “Jesus falou de guerras e anúncios de guerras. E as guerras trazem medo, temor e angústia”.

O pastor fez uma advertência, durante a pregação, para que os cristãos estejam mais focados na Palavra. “Não se assustem com essas guerras, pois o fim do mundo não virá através de uma guerra nuclear”, pontuou, citando que esse assunto tem sido bastante popular atualmente. “Jesus disse que não seria através de uma guerra”.

Durante o período da Pax Romana, ressaltou Nicodemus, Jesus profetizou que haveria guerras. “Era uma paz forçada pelo poderio militar de Roma, mas era paz. Quarenta anos depois, as guerras sacudiram o Império Romano”.

O pastor salientou que somente nos últimos três séculos, houve mais de 300 guerras na Europa, na África, no Oriente. “Jesus disse: ‘Não se assustem, pois ainda não é o fim’. Então o mundo não vai acabar numa guerra nuclear”, reforçou Nicodemus.

Foto: Reprodução

O teólogo asseverou que “Jesus disse para não nos assustarmos quando nação se levantar contra nação”. Ele prosseguiu analisando que “quando o crente vê esses conflitos internacionais, o coração se entristece, mas ele também percebe que tudo está acontecendo exatamente como Jesus disse”.

De acordo com Nicodemus, “as guerras são necessárias para mostrar a nossa impotência de resolver os problemas. Elas mostram que somente Deus pode dar solução para os problemas humanos”.

Nicodemus citou ainda que nunca houve um ano sequer sem uma nação brigando com a outra em alguma parte do planeta. “Nós não conseguimos viver em paz, não conseguimos diálogo ou compreensão, não existe perdão. Tudo o que existe é vingança, luta pelo poder, supremacia, hegemonia, lutas por terras, fontes de petróleo e interesses financeiros”.

A paz verdadeira
“Quando olho para as guerras, meu coração se entristece, eu fico temeroso, mas sei que ainda não é o fim. Isso só prova que Jesus falou a verdade. Mostra o quanto precisamos que Ele venha para instalar a paz verdadeira”, pregou.

O pastor presbiteriano disse também que Jesus já alertou sobre outras calamidades, como fomes, catástrofes naturais, terremotos e pestes. “Ele disse que tudo isso aconteceria em vários lugares e assim tem ocorrido”.

Augustus citou a fome desde o século 1, entre os anos 60 e 80, quando houve fome em todo o mundo, conforme Atos 11.28 [durante o reinado de Cláudio]. Sobre as catástrofes naturais, ele lembrou a erupção do vulcão Vesúvio, no ano de 79, que matou cerca de 16 mil pessoas com sua fumaça.

“Só no século 19, houve mais de 700 tremores e terremotos registrados no mundo todo, e em lugares onde nunca houve tremores de terra”, reforçou o pastor, acrescentando: “A natureza em fúria e transtornada acompanhando a inquietação que há no coração do homem”.

Volta de Jesus
Há dois mil anos tem sido dessa forma, pontuou Nicodemus. Cada geração acredita, segundo o pastor, que Ele vai voltar porque não pode ficar pior. “Desde o século 1 já havia especulação sobre a iminência da vinda do Senhor Jesus, porque as pessoas olhavam para o mundo e só enxergavam guerra, miséria e imoralidade”.

No entanto, segundo ele, os sinais não foram dados para marcar a proximidade do fim, mas para mostrar que “não valemos nada, que somos impotentes, além de provar a veracidade das palavras de Jesus. Ele voltará. Disso você pode ter segurança. Ele vem julgar o mundo para estabelecer seu Reino para todo o sempre”.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se