Não há problema em não estar bem

Foto: Reprodução

Precisamos aprender a viver com a imperfeição

Durante a década de 80, Sheila Walsh, de origem escocesa, era cantora cristã solista e apresentadora de programas de TV. Ela estudou teologia e tornou-se autora, escrevendo sobre suas dificuldades com a depressão em seu livro Honestamente (1996). Ela agora é co-apresentadora do programa de TV ‘Life Today’, transmitido nos EUA, Canadá, Europa e Austrália com mais de 300 milhões de espectadores diariamente, além de continuar sua carreira musical e um ministério mais amplo através da Life Today.

Em seu novo livro, “Está tudo bem não ficar bem”, ela reconhece que a vida muitas vezes não é como imaginávamos ou esperávamos. Ela incentiva os leitores a enfrentar a dor de frente e, em seguida, começar de novo, a partir de onde eles estão. Este é um extrato usado com permissão.

O que acontece entre domingo e segunda? Por que parece que Jesus de segunda-feira não é tão claro e presente às vezes como Jesus da manhã de domingo? Quando deixamos o serviço no domingo, acreditamos que certas coisas são verdadeiras:

– Eu sou filho de Deus.

– Deus me ama assim como eu sou.

– Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

– Deus é para mim.

– Minhas orações importam.

No entanto, à medida que avançamos para a semana, é mais difícil acreditar que Deus nos ama como somos, porque, honestamente, não nos amamos como somos. Sempre há coisas que queremos mudar sobre nós mesmos. Nós nos comparamos com outras mães na fila ou no trabalho, e nem sempre nos saímos bem.

Lembro-me da primeira manhã de Christian na segunda série depois que nos mudamos para Dallas. Fui à sala de aula com todas as outras mães e vi que várias delas estavam em pequenas saias de tênis com pernas bronzeadas e tonificadas. Minhas pernas não foram bronzeadas ou tonificadas desde… bem, não importa. Uma mãe se apresentou para mim e me deu um cartão (não estou brincando) para o melhor cirurgião plástico de Dallas. Lembro-me de ter murmurado algo como, “se algum dia sofrer um acidente de carro, ligarei”. Coisas doidas!

A maioria das situações não é tão extrema, mas acho que todos nós fazemos isso. Nós nos comparamos com o que vemos nos outros, e quando pensamos, nunca seremos suficientes. O que precisamos lembrar, porém, é que outras mulheres estão se comparando com outras também. É um jogo vicioso de fumaça e espelhos e ninguém vence.

Que tal acreditar que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus? O que acontece quando algo realmente difícil atinge sua família? Como o que está acontecendo agora pode ser bom? É difícil não fazer essa pergunta no fundo da sua mente: Deus está realmente ouvindo minhas orações, porque nada parece estar mudando?

Talvez sua situação seja ainda mais difícil do que isso. Você nem sente a presença de Deus na igreja. Talvez você tenha parado de ir por causa de algo que alguém disse para você, ou você olhe para todos os outros ao seu redor que pareçam estar “entendendo”, e você, se for honesto, não o faça. Você pode ter falado sobre algo com o qual você está lutando em um pequeno grupo, e você poderia dizer pelas reações dos outros que eles ficaram chocados. Agora eles olham para você de maneira diferente. Esse é um lugar muito solitário e isolado para se estar.

Eu quero dizer algo alto e claro no primeiro capítulo: não há problema em ficar bem! A linha inferior é que nós nunca fomos projetados para ser tudo para todos. A vida é dura e todos nós enfrentamos problemas. Aqueles que dizem que não têm problemas estão fazendo uma das duas coisas:

  1. Escondendo seus problemas.
  2. Fingindo que eles não têm nenhum.

Eu voltarei a isso em um momento.

Quero deixar claro que não se trata de um livro de auto-ajuda, sentir-se bem consigo mesmo. Isso pode ajudar por um momento, mas quando a primeira tempestade atingir cada palavra desapareceria como a névoa da manhã. O que eu quero que olhemos é isto: o que Deus diz sobre quem somos? Deus espera que tenhamos tudo junto, e por que sempre sentimos que há algo não muito certo em tudo? Para isso, teremos que dar uma olhada em nossa história – muito distante.

O Senhor Deus fez o homem cair num sono profundo. Enquanto o homem dormia, o Senhor Deus tirou uma das costelas do homem e fechou a abertura. Então o Senhor Deus fez uma mulher da costela, e ele a trouxe ao homem.

‘Finalmente!’ o homem exclamou. ‘Este é osso do meu osso e carne da minha carne! Ela será chamada de “mulher” porque foi tirada do “homem”.

Isso explica porque um homem deixa seu pai e sua mãe e se une à sua esposa, e os dois estão unidos em um. Agora o homem e sua esposa estavam nus, mas não sentiam vergonha alguma. (Gênesis 2: 21-25)

Gênesis 2 descreve a criação de Adão e Eva. É difícil se relacionar, porque nunca experimentamos esse tipo de vida perfeita. Eles estavam nus, mas não sentiam vergonha. Isso é muito mais do que Adão e Eva se sentindo bem em mergulhar no jardim. É assim que as coisas sempre foram feitas. Não havia barreiras entre eles e Deus. Eles estavam nus em suas emoções.

Sem vergonha

Sem medo.

Sem culpa.

Nenhum questionamento.

Não comparando.

Nenhuma doença.

Então tudo mudou. Quando eles se rebelaram contra a instrução de Deus de comer de qualquer árvore no jardim, além da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, a vida como eles sabiam que estava quebrada. Em Gênesis 3: 7, lemos: ‘Naquele momento, seus olhos se abriram e, de repente, sentiram vergonha por sua nudez. Então eles costuraram folhas de figueira para se cobrirem. A história continua no versículo 10, quando Deus pergunta a Adão onde ele está: ‘Ele respondeu:’ Eu ouvi você andando no jardim, então eu me escondi. Eu estava com medo porque eu estava nua ‘”.

Lá você tem isso!

Vergonha.

Medo.

Encobrindo.

Se escondendo.

… e nós temos feito isso desde então.

Daquele dia em diante, nunca houve um homem ou mulher que não tenha que lidar com essas emoções. Eles são o legado do plano B.

Acredito (e esta é minha única convicção) que algo do DNA do Éden é profundo em nós.

Nós sabemos que as coisas deveriam ser diferentes.

Nós sabemos que devemos ser melhores.

Nós sabemos que a vida deve ser justa.

Nós sabemos que a morte está errada.

Sabemos que algo está errado com tudo e tentamos corrigi-lo. A verdade é que não podemos.

É por isso que Cristo, o segundo Adão, veio. Quando Cristo veio, Ele não veio para devolver a terra ao Éden em Seu nascimento. Ele veio para pagar o preço por nossa rebelião e pecado e tornou possível para você e para mim, através da fé em Cristo, passar a eternidade com Ele. Então tudo que foi perdido será restaurado.

Aqui está uma prévia da maior atração futura:

“Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o velho céu e a velha terra haviam desaparecido. E o mar também se foi. E vi a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo de Deus do céu como uma noiva lindamente vestida para o marido. Eu ouvi um grito alto do trono, dizendo: ‘Veja, o lar de Deus está agora entre o seu povo! Ele viverá com eles e eles serão o seu povo. Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará toda lágrima de seus olhos e não haverá mais morte, tristeza, choro ou dor. Todas estas coisas se foram para sempre”. (Apocalipse 21: 1–4).

Esse será um dia como nenhum outro. Não mais morte ou sofrimento. Não há mais câncer ou doença. Não há mais relacionamentos quebrados e corações partidos. Todas estas coisas terão desaparecido para sempre. Aleluia!

Mas ainda não chegamos lá. Estamos vivendo no rescaldo da queda e isso é difícil. Também é importante lembrar que é onde estamos.

Tudo bem não estar bem porque ainda não estamos em casa. Não há problema em não ser suficiente porque Deus não nos pede para sermos. O que Ele quer é se mudar para dentro de nossos corações e lares, nossas mentes e nossas lutas. Jesus não é uma hashtag para adicionar à sua vida. Ele quer ser seu tudo.

*Com informações do Christian Today.