19.2 C
Vitória
terça-feira, 27 julho 2021

Naftali Bennett: conheça o novo primeiro-ministro de Israel

Bennett foi empossado em 13 de junho de 2021 em uma coalisão política ampla com aliados de diversas frentes ideológicas em Israel

Por Marlon Max

Judeu ortodox, filhos de pais norte-americanos, milionário, com vasta experiência militar e diversas contribuições na política de Isarel. Esses são apenas algumas das várias facetas do novo primeiro-ministro de Israel.

Naftali Bennett, nascido em 25 de março de 1972, com apenas 49 anos, carrega um currículo extenso, tanto na política quanto nos negócios. Entre seus cargos mais notórios estão o posto de Ministro dos Assuntos da Diáspora de 2013 a 2019, Ministro da Educação de 2015 a 2019 e Ministro da Defesa de 2019 a 2020. Bennett lidera o partido da Nova Direita desde 2018, tendo anteriormente criado e liderado o Jewish Home por seis anos — partido sionista formado por judeus ortodoxos.

Nascido e criado em Haifa, em Israel, ele é filho de imigrantes dos Estados Unidos. Sua família, apesar de aculturada na américa, manteve a mais rígida tradição judaica. Naftali cresceu orientado por rabinos ultra-ortodoxos. Ele é o primeiro judeu usando yarmulke (kippah) a receber o comando do Estado de Israel.

Ao ser chamado de ultranacionalista, por suas opiniões. Bennett, disse ao The Times of Israel em fevereiro deste ano: “Sou mais direitista do que Bibi (Netanyahu), mas não uso o ódio ou a polarização como uma ferramenta para me promover politicamente.

Homem de negócios

Em 1999, ele foi cofundador e coproprietário da empresa norte-americana Cyota, operando no espaço antifraude, com foco em fraude de banco online e fraude de comércio eletrônico. A empresa foi vendida em 2005 por 145 milhões de dólares. O que começou como uma startup rendeu os primeiros milhões à Naftali, que não parou de se projetar financeiramente desde então.

Anos depois ele também atuou como CEO da Soluto, um serviço israelense de computação em nuvem, que foi vendido por 130 milhões de dólares. Em menos de uma década, ele se tornaria multimilionário com a venda da segunda companhia, isso em 2013, quando já era Ministro da Economia de Netanyahu.

Projeto de poder

Israel
Foto: Marlon Max

Naftali entrou na política em 2006, servindo como Chefe de Gabinete de Benjamin Netanyahu até 2008, oponente que derrotou no pleito deste ano. Em 2011, fundou o movimento extraparlamentar “My Israel”. Em 2012, Bennett foi eleito líder do partido ultra-ortodox, o Jewish Home.

Em 2013, nas eleições para o Knesset — o parlamento de Israel — onde o Jewish Home atuou pela primeira vez sob a liderança de Bennett, o partido ganhou 12 assentos dos 120 na casa. Ele serviu sob o Primeiro Ministro Netanyahu como Ministro da Economia e Serviços Religiosos de 2013 a 2015, antes de ser nomeado Ministro da Educação em 2015.

Em dezembro de 2018, Bennett desertou do partido Jewish Home para formar a New Right (Nova Direita, em português), somando forças na aliança Yamina — o bloco dos conservadores de Israel. Depois de perder sua cadeira no parlamento, durante as eleições de abril de 2019, foi demitido por Netanyahu do cargo de Ministro da Educação.

Benetti recuperou sua cadeira no Knesset no mesmo ano, na eleição de setembro de 2019 e foi nomeado por Bibi à Ministro da Defesa, cargo que atuou até 2020. Ainda em 2020, o multimilionário e parlamentar, Naftali Bennett ganhou projeção dentro da ala dos partidos de direita de Isarel, sucedendo Shaked para se tornar o líder da aliança Yamina.

Em de junho de 2021, Naftali concordou com um governo rotativo com Yair Lapid, um ex-apresentador de televisão que divide o atual mandato de primeiro-ministro.  A proposta exitosa e a chapa de Naftali Bennett com Lapid derrotou Benjamin Netanyahu, após 12 anos à frente da nação de Israel.

Para chegar ao cargo mais alto do país, Naftali costurou uma verdadeira “colcha de retalhos”. Ele viabilizou uma coalizão política que inclui membros de partidos de esquerda, árabes e aliados da ala ultra-nacionalista. Como o mandato foi dividido, ele serve como primeiro-ministro de Israel até 2023, e depois passa à função para Lapid, que assumirá o papel até 2025. Bennett foi empossado em 13 de junho de 2021.

Sionismo, palestinos e o política de defesa

Nafitali Bennett é conhecido por ser um forte defensor do Estado-nação judeu e por insistir nas reivindicações históricas e religiosas dos judeus para a Cisjordânia, Jerusalém Oriental e as Colinas de Golã, território próximo à fronteira entre Israel e Síria que Israel ocupa desde a guerra de 1967 .

Quando era chefe do Conselho de Yesha, um grupo político que representava os colonos judeus, ele falava abertamente sobre suas convicções políticas, como por exemplo, se postular como defensor dos direitos dos colonos judeus na Cisjordânia. O novo primeiro-ministro, à época, adotou uma linha dura com os militantes palestinos e endossou a pena de morte para eles. Em maio deste ano, Bennett acusou o Hamas de “assassinato” de civis em Gaza, que foram mortos em ataques aéreos israelenses, em resposta aos disparos de foguetes do Hamas.

Em 2018, Bennett disse que, se fosse ministro da Defesa, promulgava uma política de “atirar para matar” na fronteira com Gaza. Questionado se isso se aplicaria a crianças que estão rompendo a barreira, o jornal Times of Israel relatou que ele respondeu de forma contundente: “Elas não são crianças, são terroristas. Estamos nos enganando”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se