Na Estrada com Ton Carfi

“Dos 70 integrantes do coral da igreja, quando criança eu era o pior cantor. Mas Deus me capacitou, e graças a Ele, hoje são milhares de pessoas alcançadas através da minha vida”

Ninguém imaginava que TonCarfi seria o que é hoje. Desde pequeno, sua irmã, Karina Carfi, era convidada a compor o coral da igreja onde congregavam, mas ele sempre era deixado de lado por ter uma voz que não agradava. “Dos 70 integrantes do coral da igreja, quando criança eu era o pior cantor”, relembra ele em tom de brincadeira.

Sua participação no coral aconteceu quando foi acompanhar a irmã em mais um dos ensaios, e lá precisaram de mais um componente. A partir daquele momento ele não parou mais de louvar a Deus. Aos 17 anos, Ton encontrou o Raiz Coral e começou a trabalhar com o grupo.

“O interessante é que eu não fui convidado para entrar no grupo, fui de ‘penetra’. Mas Deus tinha um plano na minha vida. E graças a Deus hoje tenho um ministério abençoado. Deus me capacitou, e graças a Ele, são milhares de pessoas alcançadas através da minha vida. Pessoas curadas, saradas, famílias restauradas”, conta. A voz de TonCarfi despontou durante essa estada no Raiz Coral, em que fazia parte dos  tenores, a ponto de fazer solos de algumas canções, como em “Te Louvo” e “Tocou-Me” no CD “Pra Louvar”.

Entre outras qualidades, a marca pessoal que imprime nas canções lhe rendeu participações como no seminal “Black So Dream”, em que atuou com sua versão de “Tu És Fiel, Senhor” No entanto, foi a partir de seu ingresso na primeira formação do quarteto Link4, que TonCarfi destacou-se como um dos talentos da música evangélica contemporânea, o que ficou evidenciado por suas contribuições em composições como “O Amor de Cristo” e “O Nome”, revelando-se um autor sensível e versátil, além de se projetar com suas interpretações peculiares.

Com suas características de cantor pop, o artista vem conquistando o público com seu novo álbum, “Somos Um”, preparado em tempo recorde desde que assinou seu contrato com a Som Livre em setembro do ano passado. “Foi um processo muito rápido. Recebi o convite da Som Livre, então imediatamente comecei a produzir esse CD. O processo das composições foi algo sensacional. Deus me deu canções lindas, e alguns amigos meus começaram a mostrar suas composições. Eram músicas que tinham tudo a ver com a cara do meu projeto. Trabalhei com produtores de primeira qualidade,e a masterização foi feita nos Estados Unidos. Fiquei preocupado, porque um CD feito assim tão rápido não costuma ficar bom. Mas graças a Deus, esse é o melhor de toda a minha carreira”, salientou.

Além das canções baladas, como “Festa dos Crentes”, TonCarfi também provoca comoção com suas interpretações temperadas pelo choro na voz e pela unção de Deus. Sua técnica vocal, que quando criança não era o que esperavam nos corais, hoje é apurada e tem ornamentos, inclusive com improvisações.

“Passei por um processo longo de adaptação desde o início da carreira musical, que soma 15 anos, sendo oito de carreira solo. Mas de uns quatro anos para cá, decidi dar uma repaginada no formato das minhas canções (sem perder a essência das letras). Comecei a investir em videoclipes, e isso ajudou com que mais pessoas conhecessem meu trabalho. Agora, em parceria com a Som Livre, minha ascensão deve aumentar muito mais. E que muito mais pessoas sejam alcançadas pela mensagem do Evangelho de Jesus Cristo através das minha canções”, destacou. Ton Carfi também tem contribuído profissionalmente em diversos trabalhos no âmbito da música evangélica, como Trazendo a Arca, APC16, Ministério Ipiranga, entre outros, como produtor musical.

“Hoje eu dei umas pausas nas produções devido à agenda cheia de compromissos na divulgação do meu CD. E nas horas de folga tenho que dar assistência à família. Gosto de ficar com minha esposa, Carla Carfi, e aproveitando o máximo o crescimento da minha filhinha, Sophia”, finalizou.